Dono do 'melhor emprego do mundo' esteve perto da morte

Inglês que passa temporada como zelador na ilha de Hamilton, Austrália, foi picado por uma medusa

Efe

30 de dezembro de 2009 | 04h49

O dono do "melhor emprego do mundo" descobriu que o trabalho não era tão bom assim, após estar à beira da morte por conta da picada de uma medusa, a poucos dias de concluir suas tarefas de zelador em uma ilha da Austrália.

O inglês Ben Southall explicou nesta quarta-feira, 30, no blog onde relata suas experiências que levou a picada enquanto praticava esqui aquático em águas da ilha de Hamilton. Southall contou que sentiu muitas dores, e só sobreviveu graças a uma pronta assistência médica.

O homem, de 34 anos, que vai receber um total de US$ 111 mil por trabalhar por seis meses na ilha, disse que antes de desmaiar de dor, notou como aumentava a febre acompanhada de uma intensa enxaqueca, paralisia parcial do corpo e alta da pressão sanguínea.

Embora seja pequena, a medusa irukandji (caurukia barnes) tem um veneno até cem vezes mais potente que o de uma cobra, segundo especialistas.

Dois turistas morreram em 2002 por causa da picada dessa espécie, que habita as águas do nordeste da Austrália.

Southall foi eleito para o emprego entre 34 mil candidatos. Entre os requisitos para a vaga, era necessário saber nadar, mergulhar, fazer fotos e vídeos, e relatar pela internet as atividades realizadas durante a missão.

O concurso fez parte do plano publicitário destinado a promover o potencial turístico do estado australiano de Queensland e suas Ilhas.

Tudo o que sabemos sobre:
AustráliaBen Southall

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.