Donald Trump decide que Miss EUA não perderá título

A Miss Estados Unidos 2006, Tara Conner, criticada pelos organizadores do Miss Universo por freqüentar assiduamente baladas em Nova York, não vai perder seu título, anunciou nesta terça-feira o bilionário e astro de programas de TV Donald Trump, dono do concurso.Uma porta-voz do concurso recusou-se a dar detalhes sobre o mau comportamento de Tara e a comentar os relatos na internet sobre incidentes de má conduta da moça em bares de Nova York."Eu sempre acreditei em segundas chances", disse Trump nesta terça-feira, acompanhado por Tara. "Ela deixou uma cidade pequena em Kentucky e ela me disse que se deixou influenciar pelos ´ares´ de Nova York", afirmou Trump. "É uma história que já se passou diversas vezes com outras mulheres e homens que vêm à cidade", acrescentou. O escândalo estourou apenas um mês depois que a Miss Reino Unido, Danielle Lloyd, perdeu a sua faixa por ter posado para a revista Playboy e ter namorado o jogador Teddy Sheringham, antes de ele ter sido jurado do concurso. Moral"A Miss EUA é um modelo de comportamento. Há regras morais que as acompanham", disse em comunicado, na semana passada, Paula Shugart, presidente da Miss Universo. Ela recusou-se a especificar quais regras as vencedoras aceitam junto com o título.Tara Conner, que completa 21 anos neste mês, ganhou o concurso de Miss EUA em abril, tornando-se a primeira mulher de Kentucky a levar a coroa. Ela compete em concursos de beleza desde os 4 anos de idade.Segundo as regras, se Tara perdesse o título, a vice assumiria o posto - a Miss Califórnia, Tamiko Nash.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.