"Dom Quixote" é escolhido o melhor livro de todos os tempos

Uma votação entre escritores de todo o mundo escolheu Dom Quixote, do espanhol Miguel de Cervantes, como o melhor livro de todos os tempos. A enquete foi conduzida pelos Clubes do Livro Noruegueses e o resultado, anunciado nesta terça-feira na sede do Instituto Nobel em Oslo, capital da Noruega.Foram pedidas listas de dez melhores livros para cem escritores consagrados de 54 países. A partir dessas escolhas foi elaborada a lista dos cem maiores trabalhos de ficção na história da literatura. "O ganhador, com 50% mais votos do que qualquer outro livro, é o amplamente conhecido Dom Quixote, de Miguel de Cervantes Saavedra, publicado na Espanha em duas partes, em 1605 e 1615", anunciou um porta-voz dos clubes.Em segundo lugar ficou Em Busca do Tempo Perdido, do francês Marcel Proust. Os demais 98 livros da lista foram apresentados sem especificação da ordem em que foram votados. A lista dará origem a uma coleção de livros na Noruega. Estão representados 13 premiados com o Nobel da Literatura, nove escritores contemporâneos e dez com mais de um livro.O russo Fiodor Dostoievski, que morreu em 1881, comparece com o maior número de livros, quatro: Crime e Castigo, O Idiota, Os Possessos e Irmãos Karamazov. Com três títulos cada estão o tcheco (mas que escreveu em alemão) Franz Kafka, com Histórias Completas, O Processo e O Castelo, William Shakespeare, com Hamlet, Rei Lear e Otelo, e o russo Leon Tolstoi, com Guerra e Paz, Ana Karenina e A Morte de Ivan Ilitch e Outras Histórias.Cinco autores tiveram dois livros citados cada: o americano William Faulkner, o colombiano Gabriel García Márquez, o grego Homero, o alemão Thomas Mann e a britânica Virginia Woolf.Entre os votantes estão nomes como os dos americanos John Irving, Paul Auster e Norman Mailer, os britânicos John Le Carré e Fay Weldon, o indiano Salman Rushdie, a sul-africana Nadine Gordimer, o mexicano Carlos Fuentes, o trinidadiano V.S. Naipaul, os nigerianos Ben Okri e Wole Soyinka, o turco Orhan Pamuk, o chinês Bei Dao e a egípcia Nawal El Saadawi. Os escritores vivos que têm livros na lista dos cem melhores são: Rushdie, García Márquez, a britânica Doris Lessing, o nigeriano Chinua Achebe, o alemão Guenter Grass, o egípcio Naguib Mahfouz, a americana Toni Morrison, o sudanês Tayeb Salih e o português José Saramago.Outros livros na lista: Contos de Fadas, de Hans Christian Andersen, Orgulho e Preconceito, de Jane Austen, O Morro dos Ventos Uivantes, de Emily Brontë, Contos da Cantuária, de Geoffrey Chaucer, e Grandes Esperanças, de Charles Dickens.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.