Dois casos de incríveis semelhanças

Para quem pensa que a ascensão de Criolo é "meteórica" recomenda-se dar uma olhada em seu histórico de conquistas lentas e suadas. É por isso que certas acusações oportunismo o deixam muito chateado. Criolo não comentou sobre o assunto, mas essa semana o blog Meio Desligado apontou incrível semelhança entre Subirusdoistiozin e uma música (traduzida por Noite Abafada), do grupo japonês Rip Slyme (http://www.meiodesligado.com/2012/06/criolo-e-o-rap-japones.html).

O Estado de S.Paulo

16 de junho de 2012 | 03h09

Se há alguma tentativa de acusação de plágio, em defesa de Criolo há de se dizer que, embora o álbum Nó na Orelha tenha sido lançado em abril de 2011, foi gravado no fim de 2010. A canção em pauta foi também lançada antes em single. O disco dos japoneses saiu em abril de 2011. O próprio editor do blog, Marcelo Santiago, revela que vasculhou o site Who Sampled Who (quem sampleou quem) "para tentar descobrir se trata-se de algum sample utilizado nas duas músicas, mas não apareceu nada". Se a música de Criolo também não estava disponível na internet quando os japoneses lançaram seu single, em março do ano passado, fica no ar o mistério.

Há um outro caso de curiosa semelhança entre a parte inicial de Linha de Frente (Turma da Mônica) e Tristeza Pé no Chão (Armando Fernandes "Mamão" ), clássico do repertório de Clara Nunes, de 1973. Pessoas próximas de Criolo dizem ter dado um toque sobre a coincidência, mas ele teria dito que até então não conhecia esse samba. "Deve ser aquelas coisas que ficam no subconsciente." Vale lembrar que até gênios como Noel Rosa (1910- 1937) passaram por isso. É histórico o caso de sua Com Que Roupa?, que na primeira versão tinha as mesmas notas do Hino Nacional Brasileiro. / L.L.G.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.