Doente, George Clooney interrompe visita a Darfur

O ator George Clooney interrompeusua primeira viagem como "mensageiro da paz" da Organização dasNações Unidas (ONU) e regressou de Darfur (Sudão) para casa,após ter ficado doente, disseram na terça-feira fontes daentidade mundial. Clooney viu-se obrigado a cancelar também uma visita aovizinho Chade, país atingido pela onda de violência vinda doterritório sudanês. "Ele ficou doente e voltou para Cartum", afirmou umintegrante da missão da ONU. Porta-vozes da entidade nãoquiseram se manifestar sobre o caso. As contundentes opiniões do ator sobre o conflito emDarfur, que ele descreveu como um genocídio, fizeram com que aONU não alardeasse a visita dele. Os pedidos de entrevistaforam recusados e os meios de comunicação não tiveramautorização para filmá-lo. Clooney começou a sentir febre e dores de estômago, voltoupara Cartum e cancelou a segunda parte da sua viagem, ao Chade,disseram as fontes. O ator voou para fora do Sudão naterça-feira de manhã. Clooney e seu pai visitaram o Chade em 2006. O país abrigaatualmente 240 mil refugiados vindos de Darfur. Os conflitos na região sudanesa começaram em 2003, quandorebeldes em sua maioria não árabes tomaram em armas contra ogoverno do país, que acusam de negligenciá-los. A fim de sufocar a revolta, as autoridades sudanesasmobilizaram milícias majoritariamente árabes conhecidas comoJanjaweed, acusadas agora de cometer atrocidades. Em 2004, o governo norte-americano descreveu o conflitocomo um genocídio, um termo que os países europeus mostram-serelutantes em acatar e que as autoridades sudanesas rejeitam. (Reportagem de Opheera McDoom)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.