Documento de luxo para estar nas prateleiras Ao vivo, o teste do tempo

VÁRIOS

O Estado de S.Paulo

24 de dezembro de 2011 | 03h06

ADELE

LIVE AT ROYAL ALBERT HALL (DVD E CD)

Preço médio: R$ 38

BOM

A garota Adele fecha um ano de recordes - o último deles a consagrou nos primeiros lugares da loja iTunes no Brasil na semana de lançamento - com a chegada por aqui de seu maior show no Royal Albert Hall de Londres, a primeira compilação dos hits de seus dois discos, 19 e 21. Adele é simpática, brinca com todos o tempo todo, domina aquele espaço como veterana e tem produção de ponta. Mas deixa claro que algo está estranho nesse mundo de Adele. Ela não é Amy Winehouse (ela nunca disse isso, mas vivem dizendo por ela) nem nunca vai ser, ao contrário do lobby já feito por sua gravadora para emplacá-la neste vácuo. Seu disco 21 vendeu 12 milhões de cópias no mundo e isso empolga qualquer um. Mas calma. Adele não é tão grande. É uma boa cantora pop, e ponto. Sua voz não tem entregas maiores, sua interpretação não traz traços novos. Sua identidade, profissional e pessoal, é frágil, a não ser por uma questão: Adele é gordinha. Um detalhe que, se não é estratégia de marketing, tem trazido efeitos para sua audiência. Fora dos padrões de beleza, parece cantar o amor com mais verdade. E assim atrai um contingente que não se identifica com Rihanna e Katy Perry. / J. MARIA

OUÇA TAMBÉM

LIKE A STAR

Artista: Corinne Bayle Ray

Álbum: Corinne B Ray (2006)

Gravadora: EMI Preço médio: R$ 26

INEZITA

BARROSO

O BRASIL DE

INEZITA BARROSO

EMI

ÓTIMO

Inezita Barroso tem um legado que ainda não havia sido descoberto. Uma ironia, já que falamos aqui da mulher que luta para não deixar artistas caírem no ostracismo. Agora, graças a um trabalho de pesquisa primoroso de Rodrigo Faour, a dama da música sertaneja tem seus discos que foram lançados entre 1955 e 1962 relançados em CD em uma caixa com seis álbuns s repletos de textos e comentários faixa a faixa feitos pela própria Inezita. A mulher que mais pesquisou sons pelo interior de todas as regiões do Brasil (ela chegou a sair em um jipe nos anos 60 atrás de gravações de cultura popular) tem uma história cinematográfica que tem em seus primeiros álbuns sua trilha sonora perfeita. Com 60 anos de carreira e 86 de vida, tem o título de apresentadora de TV com mais tempo de profissão. Os discos mostram como que era tratada a música regional entre as décadas de 50 e 60. Apesar de todo o preconceito que ela sofreu desde o início, sobretudo por tocar violão, um instrumento de vagabundo, suas canções no início vinham embaladas em arranjos grandiosos e orquestrais. / J. MARIA

OUÇA TAMBÉM

GENTE HUMILDE

Artista: Angela Maria

Álbum: Angela Popular Brasileira

Gravadora: EMI Preço: R$ 27

EDU

LOBO

MEIA-NOITE

Biscoito Fino

Preço médio: R$35

ÓTIMO

Dominado por um repertório de seis parcerias com Chico Buarque, duas com Vinicius de Moraes (que divide uma terceira, Estrada Branca, com Tom Jobim) e ainda uma última com Paulo Cesar Pinheiro, além de uma composição, Candeias, assinada só por ele, o CD Meia-Noite, de Edu Lobo (foto), foi lançado em 1995. Esta reedição da Biscoito Fino vem com mudanças em relação à edição original. Além de uma nova ordem dada às 11 faixas, uma delas (Pra Dizer Adeus) saiu e deu lugar a Choro Bandido, que tem participação de Dori Caymmi, também responsável pela produção da faixa, cantando em dueto com o compositor. Outro convidado é Milton Nascimento numa das melhores parcerias de Edu e Chico, Beatriz, do musical O Grande Circo Místico (1983). Os arranjos desta última conferem à canção um tom mais intimista que a eloquente versão do musical. O delicado CD, com orquestrações e regência de Cristóvão Bastos, já é um clássico, figurando entre os melhores de um compositor e intérprete da segunda geração da bossa. / ANTONIO GONÇALVES FILHO

OUÇA TAMBÉM

PRA DIZER ADEUS

Artista: Elis Regina Álbum: Elis Canta Edu (2009) Gravadora: Universal

Preço: R$ 30

ROCK AND ROLL

HALL OF FAME (3 DVDs)

Coqueiro Verde

Preço médio:

R$ 50

ÓTIMO

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.