Documentário mostra como Hugh Hefner criou a 'Playboy'

Antes de receber muitas vezes um sim de mulheres exuberantes, Hugh Hefner estava cansado de levar ''não'' de alguns marmanjos. Por causa de um pedido de aumento negado por seu chefe, quando trabalhava na "Esquire", em 1952, ele pediu demissão e foi criar a "Playboy", tema do documentário "Como a ''Playboy'' Mudou o Mundo", que o History Channel exibe na sexta-feira, às 22 horas.

AE, Agência Estado

29 de janeiro de 2013 | 11h25

Com depoimentos de personalidades, como Donald Trump e do reverendo Jesse Jackson, o programa resgata as origens da publicação que fez de Hefner, de 86 anos, um dos homens mais invejados do planeta por viver rodeado de mulheres em sua mansão, onde promoveu festas com as coelhinhas, uma delas a modelo Crystal Harris, 60 anos mais nova, com quem ele se casou. "Na metade do século 20, o país tinha medo de sexo", diz a escritora Diablo Cody.

Assim que deixou a "Esquire", ele vendeu os móveis de casa, pediu um empréstimo a um banco e a investidores, sendo US$ 1 mil dados por sua mãe, para a primeira edição da revista, que, em 1953, se chamava "Stag Party". O empresário publicou um ensaio sensual de Marilyn Monroe, clicado quatro anos antes, e vendeu 50 mil cópias. Outro trunfo foi uma polêmica crônica de Charles Baumont, recusada pela "Esquire". O texto falava sobre um mundo em que os homossexuais eram maioria e hostilizavam os heterossexuais. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Tudo o que sabemos sobre:
History ChannelPlayboy

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.