Documentário destaca lutas políticas

Talvez seja até uma atitudeinconsciente do diretor brasileiro Henrique Goldman, mas notítulo do documentário que ele fez e o Cinemax, da "TVA" e"DirecTV" exibe amanhã, às 22 horas - Ken e Rosa -, estácontida uma referência e uma homenagem a outro filme queJean-Luc Godard realizou em 1971, quando integrava o grupo DzigaVertov. Vladimir e Rosa também era um documentário, mas nadaconvencional. Vladimir era Vladimir Ilitch, o Lenine; Rosa, eraRosa Luxemburgo e o filme sobre os dois revolucionários, peloexcesso de informação política, é o mais burlesco de toda acarreira de Godard, como se os Irmãos Marx, de repente, tivessemtido um acesso e tentassem apossar-se do velho Karl.Ken, agora, é Ken Loach, o diretor inglês que, em plena era daglobalização, insiste em fazer filmes políticos numa perspectivade esquerda, reafirmando sua crença na necessidade de umsocialismo democrático como solução para os problemas sociaisque o neoliberalismo econômico não se cansa de produzir. Muitagente - críticos, jornalistas - tenta fazer crer que Loach estádefasado e é anacrônico, mas a tese tromba com uma constataçãoque ninguém pode deixar de fazer. Loach faz bons filmes, filmesmuito bons que sustentam seu discurso e fazem dele um dosgrandes do cinema atual.Ken, portanto, e Rosa, que na verdade é Rosa Ayala, a imigrantesalvadorenha cuja história inspirou ao diretor a realização dePão e Rosas. Henrique Goldman fez seu documentário de 50minutos (na verdade, 49) durante a rodagem daquele filme.Acompanhou Ken Loach e Rosa Ayala no set, seguiu-os depois. Etudo para mostrar não apenas como Loach filma, mas também comosão os caminhos da criação e do engajamento. Rosa, que entrouilegalmente nos EUA e foi trabalhar como faxineira em LosAngeles, integrou-se em Hollywood à organização Justiça para osZeladores, organizada por trabalhadores latinos em busca dejustiça e reconhecimento de sua dignidade profissional.É um filme no estilo "...e a luta continua", feito por quemainda acredita na capacidade de mobilização da classetrabalhadora. Henrique Goldman não é burlesco como Godard. Ésolidário. Brasileiro radicado na Inglaterra, fez, com produçãode Rebecca O´Brien, que trabalhava com Loach, um filme sobretravestis, Princesa, consagrado pelo público na MostraInternacional de Cinema São Paulo em 2000.Serviço - Ken e Rosa, escrito e dirigido por Henrique Goldman. Hoje, às 22 horas. Cinemax (operadoras/canais: TVA, 64; DIRECTV, 531)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.