Djin, Newman e o grande Bilge Ceylan

Mansão Mal-Assombrada

LUIZ CARLOS MERTEN, O Estado de S.Paulo

12 de setembro de 2012 | 03h11

15H40 NA GLOBO

(The Haunted Mansion). EUA, 2003. Direção de Rob Minkoff, com Eddie Murphy, Terence Stamp, Nathaniel Parker, Marsha Thomason, Jennifer Tilly, Wallace Shawn.

Eddie Murphy faz corretor de imóveis que, para fechar negócio, vai parar com a mulher na mansão assombrada do título. Murphy e o diretor Minkoff zoam com o tema da casa assombrada, que é clássico no cinema de terror, mas o filme não é tão engraçado quanto poderia e até deveria ser. Reprise, colorido, 99 min.

Mil Anos de Orações

22 H NA CULTURA

(A Thousand Years of Good Prayers). EUA, 2007. Direção de Wayne Wang, com Feihong Yu, Henry O.

Velho chinês vai visitar a filha nos Estados Unidos. Ela acaba se divorciar e atravessa um momento difícil. O pai, formado no comunismo, tem ideias que parecem anacrônicas à filha, mas, a despeito das diferenças, eles conseguem se entender. E o mesmo ocorre com a iraniana idosa, a quem o velho chama de 'Madame'. Embora também separados pela língua, eles também se comunicam (com a linguagem do coração?). Um filme delicado, e no qual o diretor sino-americano Wang projetou muito de si. Reprise, colorido, 83 min.

Deus do Dinheiro

23 H NA REDE BRASIL

(God Money). EUA, 1997. Direção

de Darren Doane, com Rick Rodney, Bobby Field, Christi Aleen.

Garoto de rua muda-se para Nova York, onde tenta reconstruir a vida, mas um traficante lhe acena com possibilidades de ganhos que o fazem encarar o passado. Boas intenções, resultados médios. Reprise, colorido, 99 minutos.

O Mercenário

0 H NA RECORD

(Mercenary for Justice). EUA, 2006. Direção de Don E. Faunt LeRoy, com Steven Seagal, Jacqueline Lord, Roger Guenveur Smith, Luke Goss, Michael K. Williams, Adrian Galley, Langley Kirkwood.

Steven Seagal faz o mercenário do título. Se não resgatar o filho do maior traficante do mundo da cadeia, o filho do herói sofrerá as consequências. Só para fãs de carteirinha de Seagal. Os demais espectadores vão se divertir mais vendo, nos cinemas, o humorado - no plural - Mercenários 2, que mostra um bando de aventureiros decrépitos (e botocados) pegando em armas para provar que estão vivos. Reprise, colorido, 103 min.

Batalha de Guerreiros

4H20 NA REDE BRASIL

(Mohawk). EUA, 1956. Direção de Kurt Neumann, com Scotty Brady, Rita Gam, Lori Nelson, Mae Clarke.

Um ótimo western desenrolado na época das guerras indígenas, sobre a filha do cacique que se envolve com soldado de forte situado em território dos mohawks. O diretor alemão Neumann foi a Hollywood para realizar as versões europeias de filmes B norte-americanos. Deu-se tão bem que virou diretor e assinou clássicos de gêneros. Também é dele A Mosca da Cabeça Branca, uma obra-prima de ficção científica. Reprise, colorido, 80 min.

TV Paga

Meu Nome É Dindi

11H55 NO CANAL BRASIL

Brasil, 2006. Direção de Bruno Sa-

fadi, com Djin Sganzerla, Gustavo

Falcão, Carlo Mossy, Nildo Parente, Maria Gladys.

Djin Sganzerla talvez fosse somente a filha de dois ícones do cinema brasileiro - Rogério Sganzerla e Helena Ignez. Mas foi com este filme que algo ocorreu e ela mostrou que também era (é) uma verdadeira atriz. O filme de Bruno Safadi é sobre garota que possui uma quitanda. Uma sobrevivente, a protagonista vê sua vida mudar quando passa a ser seguida por homem misterioso. Quem é ele, o que pretende? A riqueza metafórica do programa não pode ser descartada. A própria atriz floresce sob o olhar arguto do autor. Reprise, colorido, 100 min.

Três Macacos

17H45 NO TELECINE CULT

(Uç Maymun/Three Monkeys).

Turquia, 2008. Direção de Nuri

Bilge Ceylan, com Yavuz Ringoli,

Hatice Haslan.

Os três macacos que não falam, ouvem nem veem são referências universais de isolamento e alienação humanas. Esta é uma história de família que começa quando homem é forçado a assumir a culpa num caso de atropelamento provocado por seu chefe. O turco Ceylan é hoje reconhecido como um dos maiores diretores de cinema do mundo. Mesmo que Era Uma Vez na Anatólia, feito depois, seja ainda melhor, a marca do grande autor está impressa no cartaz da TV paga. Reprise, colorido, 109 min.

Rebeldia Indomável

3H10 NO TCM

(Cool Hand Luke). EUA, 1967. Direção de Stuart Rosenberg, com Paul Newman, George Kennedy, J.D. Cannon, Lou Antonio, Strother Martin, Jo Van Fleet.

Paul Newman faz o indomável do título, que é preso danificando parquímetros num estacionamento. Newman é excepcional no papel - e foi indicado para o Oscar, mas quem o ganhou o prêmio (de coadjuvante) foi George Kennedy. O diretor Rosenberg pode não ter cumprido integralmente o que se esperava dele - começou bem -, mas fez dois filmes importantes sobre o sistema penitenciário dos EUA, esse e Brubaker, com Robert Redford. Reprise, colorido, 126 min.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.