Divididos, atores dos EUA adiam votação sobre greve

'Esta divisão não ajuda nosso esforço de obter um acordo', diz negociador-chefe do sindicato dos atores

Dean Goodman, da Reuters,

23 de dezembro de 2008 | 12h35

Os integrantes do sindicato dos atores de cinema e televisão dos Estados Unidos decidiram na segunda-feira, 22, adiar a votação que autorizaria uma greve em Hollywood a partir do dia 2 de janeiro. Divididos, os atores preferiram "tratar da lamentável divisão e restaurar o consenso". Veja também:Sindicato dos atores de Hollywood pede autorização para greve Atores famosos, como Tom Hanks e George Clooney, haviam se manifestado contra a greve. O "sim" tem ao seu lado personalidades como Mel Gibson e Martin Sheen. "Esta divisão não ajuda nosso esforço de obter um acordo da AMPTP (Aliança de Produtores de Filmes e TV) que nossos membros ratifiquem", disse Doug Allen, negociador-chefe do sindicato dos atores (SAG, na sigla em inglês). O contrato dos atores do sindicato expirou em 30 de junho. O principal entrave à negociação é o pagamento pela exibição de filmes e programas na Internet. Um mediador federal tentou sem sucesso resolver o impasse no mês passado, e depois disso o SAG começou a discutir a greve. Para isso, é preciso ter aprovação de 75% dos 120 mil integrantes (a maioria dos quais não trabalha em tempo integral como ator). Uma nova votação foi marcada para as três semanas subsequentes a uma reunião extraordinária da direção do sindicato, nos dias 12 e 13. A contagem dos votos deve levar outras três semanas. Um "sim" poderia afetar a festa do Oscar, no dia 22 de fevereiro, já que muitos atores vão evitar a cerimônia para não parecerem fura-greves. A produção dos grandes estúdios já está reduzida desde o final de junho por causa da perspectiva de conflitos trabalhistas, ao que se soma a recessão econômica. Entre dezembro de 2007 e fevereiro de 2008, roteiristas de Hollywood fizeram uma greve que provocou prejuízos de cerca de US$ 3 bilhões devido à interrupção de produções em Los Angeles e arredores.

Tudo o que sabemos sobre:
Hollywoodgreve

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.