Distribuidora pede que sites retirem fotos do 7.º 'Harry Potter'

Hackers conseguiram supostamente burlar os fortes esquemas de segurança

Efe,

18 de julho de 2007 | 11h40

A empresa que vai distribuir, nos Estados Unidos, o último livro da saga Harry Potter pediu a sites que retirem da web as fotografias que parecem ser do livro, informou nesta quarta-feira, 18, o jornal The New York Times em sua versão online. Veja também:   Livro de Harry Potter já está na Internet Entrevista com Lia Wyler, a tradutora da saga  Segundo o jornal, algumas das páginas são difíceis de ler, mas o final "severamente protegido" do romance está "definitivamente legível". A proliferação das fotografias provocou um grande congestionamento nesses sites e muitos deles deixaram de funcionar, disse o jornal. O livro Harry Potter and the Deathly Hallows (Harry Potter e as Relíquias da Morte), o sétimo e último da saga escrita pela britânica J.K. Rowling, estará à venda nos Estados Unidos e no Reino Unido um minuto após a meia-noite de sexta-feira (1h01 de sábado, em Brasília). Até agora, tanto a distribuidora nos Estados Unidos quanto a editora britânica se esforçam para manter no maior segredo o conteúdo da obra da escritora J.K. Rowling. Lista Holton, presidente da empresa Scholastic, em declarações publicadas pelo jornal, disse que para manter o espírito de "magia da meia-noite" pediu aos responsáveis pelos sites "que por favor retirem os conteúdos". O New York Times disse que os advogados da empresa estão tentando identificar as pessoas que publicaram as informações. A rede de livrarias Barnes & Nobel, que acumula pedidos de 1,2 milhão de livros, disse que o local onde os livros estão sendo depositados está sendo vigiado 24 horas por dia. De lá, eles serão distribuídos, com grandes medidas de segurança, para mais de 700 estabelecimentos em todo o país.

Tudo o que sabemos sobre:
Harry Potter

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.