David Gray/Reuters
David Gray/Reuters

Dissidente chinês Ai Weiwei prepara exposição artística nos EUA

Ai Weiwei: Segundo o Quê? reunirá esculturas, fotografias, vídeos, áudios e instalações em Washington

Reuters

02 Outubro 2012 | 17h20

WASHINGTON - O mais famoso dissidente político chinês, o artista plástico Ai Weiwei, inicia no domingo, 7, sua primeira grande exposição nos EUA, incluindo algumas imagens ostensivamente políticas, como a do seu cérebro sangrando por causa de uma agressão policial.

Ai Weiwei: Segundo o Quê? reunirá esculturas, fotografias, vídeos, áudios e instalações no Museu Hirshhorn, no National Mall, avenida monumental de Washington.

A escolha do local reflete o desejo de Ai de falar com líderes políticos, diplomatas estrangeiros e instituições de pesquisas na capital norte-americana, disse o diretor do museu, Richard Koshalek, a jornalistas.

Em nota, Ai disse que "essa exposição tem sido uma oportunidade de re-examinar a obra passada e me comunicar com audiências distantes. Vejo isso como um fluxo de atividades, e não como uma entidade fixa".

No ano passado, Ai passou 81 dias preso na China, o que gerou indignação internacional. Ativistas dizem que o processo por evasão fiscal que ele enfrenta em seu país esconde uma tentativa das autoridades locais de calar o artista por causa das suas críticas ao governo.

A exposição vai até 24 de fevereiro de 2013.

Mais conteúdo sobre:
ARTEAIEXPOSICAO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.