Disney alega falta de produto nacional e pede dispensa da lei

Embora tenha tido o mesmo prazo para se programar que outros canais internacionais, a Disney acaba de pedir à Ancine que seja dispensada de cumprir as cotas de produções brasileiras na programação, como exige a nova lei do setor. Alega que toda a programação é feita com base nos personagens Disney/Buena Vista e que há "pouquíssimos conteúdos, disponíveis para licenciamento, que incorporam os padrões de qualidade técnicos e editoriais da Disney". Ao longo dos últimos meses, a coluna procurou a Disney em várias ocasiões, por meio de sua assessoria de imprensa, a fim de saber como a operadora cumpriria as cotas de produção nacional, e não obteve retorno.

Cristina Padiglione, O Estado de S.Paulo

14 de dezembro de 2012 | 02h10

O Estado ouviu ainda de um executivo de importante produtora nacional independente, que hoje realiza títulos para diversas programadoras de TV paga, com reconhecida qualidade, que tentou, em vão, agendar encontros com os canais Disney para oferecer ideias nacionais ao grupo.

Os pedidos de dispensa foram feitos para os canais Disney, Disney XD e Disney Jr., e publicados no site da Ancine. A Fox também solicitou dispensa para o canal Baby TV, mas o grupo Fox, diferentemente da Disney, tem produções nacionais em andamento em seus demais canais.

Como exemplo de conteúdo nacional que pode ser incorporado à lei, a Disney teria o Art Atack, apresentado por brasileiro, mas produzido na Argentina, onde o custo é menor que no Brasil, país latino-americano onde as programadoras internacionais econtram hoje seu maior faturamento.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.