Discussão sobre falso e verdadeiro

CÓPIA FIEL Cineasta Abbas Kiarostami discute de forma inteligente a autenticidade da realidade

UBIRATAN BRASIL, O Estado de S.Paulo

20 de novembro de 2011 | 03h10

"A qualidade de uma obra de arte está nos olhos de quem vê. Portanto, uma falsificação bem feita teria a mesma validade de um original, já que seu impacto no observador, caso ele não saiba que se trata de uma falsificação, será o mesmo" - essa é a premissa do livro de James Miller, escritor inglês que faz turnê de lançamento na Itália. Lá, ele conhece a historiadora francesa Elle (Juliette Binoche), com quem inicia um estranho relacionamento.

Em Cópia Fiel, o cineasta iraniano Abbas Kiarostami oferece um cardápio estimulante: ao mesmo tempo em que constrói uma história de amor, induz o espectador a raciocinar sobre a falsidade de tudo que nos rodeia, inclusive das relações. Sim, porque não sabemos ao certo se James e Elle estão formando um casal ou apenas utilizando o relacionamento como prova física de sua teoria.

Mesmo que tal jogo de verdades e mentiras possa inicialmente confundir, não se deve temer. Afinal, Kiarostami é habilidoso ao conduzir a narrativa, baseada em excelentes diálogos e, principalmente, interpretações de primeira linha. Pena que o DVD não traga extras estimulantes.

CÓPIA FIEL

Gênero: Cinema Europeu

Ano: 2010

Elenco: Juliette Binoche e

William Shimell

Preço: R$ 39,90

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.