Discórdia na imprensa francesa

As reações não poderiam ter sido mais desencontradas na imprensa francesa. Le Figaro fez trocadilho com Palme d"Or e intitulou La Palme Dort (A Palma Dorme) sua análise da premiação deste ano. O jornal tomou clara posição pelo filme francês Des Hommes et des Dieux, de Xavier Beauvois. Para Figaro, o filme do tailandês Apichatpong Weerasethakul é tedioso, incompreensível e alucinatório. Libération, pelo contrário, abraçou a decisão do júri presidido por Tim Burton. "Rêve d"Or pour Weerasethakul" (Sonho de ouro para Weerasethakul) foi a manchete de ontem do jornal, que considera o filme tailandês mágico e desconcertante. Figaro não poupou nem o prêmio de interpretação para Juliette Binoche (foto). O jornal considerou antiético que sua foto ornasse o cartaz da 63ª edição e ela estivesse em competição. Juliette foi a estrela "incontornável" do festival. Ela riu, chorou, assumiu o comprometimento político, batendo-se pela libertação do cineasta Jafar Panahi, preso no Irã. Para Figaro, o prêmio para Juliette foi uma tomada de posição do júri. / L.C. M, DE CANNES

, O Estado de S.Paulo

25 de maio de 2010 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.