DISCO DE 1972 AINDA VIVE NO FUTURO

O Estado de S.Paulo

12 de maio de 2012 | 03h10

Jorge Mautner estreou tarde em disco, em 1972, quando já era autor consagrado. Mas a estreia, o álbum "comercialmente marginal" Para Iluminar a Cidade (1972), talvez merecesse uma revisão em seu papel de aríete cultural. Gravado ao vivo no Teatro Opinião, em abril, era visionário na sua combinação de voz e percussão (Olhar Bestial estava 30 anos à frente); tinha uma lírica urbana moderníssima, guitarras e violões pós-hendrixianos. From Faraway, parceria com Caetano Veloso, era uma homenagem a Billie Holiday. Era lisérgico e ibérico (Estrela da Noite), fazia uma ponte com o folclore (Sapo Cururu). Anjo Infernal e Super Mulher têm uma dinâmica interna que ainda não foi superada. / J.M.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.