Dirigente do balé Bolshoi promete voltar após ataque com ácido

O diretor artístico do Balé Bolshoi, da Rússia, disse nesta sexta-feira que estava determinado a retomar sua antiga vida depois de se recuperar de um ataque com ácido que lesionou bastante seus olhos, e o seu médico alemão afirmou que isso deve ser possível.

Reuters

15 de março de 2013 | 15h30

Um agressor mascarado lançou ácido no rosto de Sergei Filin quando ele voltava para casa vindo do Bolshoi em 17 de janeiro. A polícia acusou um dos principais dançarinos do teatro mundialmente famoso, Pavel Dmitrichenko, junto com dois supostos cúmplices.

Usando óculos escuros e chapéu e cachecol pretos, Filin apareceu em uma coletiva de imprensa com seu médico na cidade alemã de Aachen, onde está sendo tratado para salvar o olho direito.

"Tenho muita força e tenho confiança e desejo voltar para o que foi erradamente tirado de mim", disse Filin.

"Farei tudo, e os médicos que trabalham comigo farão todo o possível também, então acho que juntos teremos ótimos resultados", disse, falando em russo.

Filin, de 42 anos, descreveu os exercícios que fazia com seu médico, Martin Hermel, e disse sentir uma "grande alegria" ao ser capaz de repetir certos movimentos.

"Quando puder enxergar tudo de novo, não terei medo e gostaria de voltar a trabalhar como fazia antes. Sem medo, sem ansiedade", acrescentou.

Questionado sobre o suspeito, agora sob custódia em Moscou, Filin disse: "Essa pessoa certamente pertence àquele pequeno círculo de pessoas de quem eu suspeitava". Filin afirmou anteriormente que achava que conhecia quem estava por trás do ataque.

Tudo o que sabemos sobre:
ARTEBOLSHOIATAQUE*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.