Diretores consagrados são maioria no Festival de Veneza

O Festival de Veneza divulgou 17 títulos da sua principal competição, aquela que concede ao vencedor o Leão de Ouro. Entre eles, nenhum do Brasil. Em compensação, vários nomes conhecidos estarão competindo, como Marco Bellocchio ("Bela Adormecida"), Takeshi Kitano ("Para Além da Indignação") e Brian de Palma ("Pasión"). Só por aí já se poderia prever uma bela mostra, agora sob nova direção. Saiu o antigo presidente, Marco Müller, e regressou Alberto Barbera, que já dirigira Veneza.

AE, Agência Estado

27 Julho 2012 | 10h48

Mas o maior trunfo provavelmente não dará as caras no Lido. Trata-se do ermitão Terrence Malick, que manda ao festival italiano "To The Wonder", com Rachel Weisz, Ben Affleck e Javier Bardem. Malick, convém lembrar, venceu o Festival de Cannes com seu "A Árvore da Vida", um trabalho com ambição metafísica, hoje coisa rara no cinema. O fato de ter enviado seu novo filme a Veneza representa uma vitória da nova direção deste que é o mais antigo festival de cinema do mundo, mas que andava com o prestígio abalado nos últimos anos.

Os outros filmes também prometem. Em especial este que é um dos concorrentes da casa e um dos remanescentes da melhor fase do cinema italiano - Marco Bellocchio.

Com "Bella Adormentata" (Bela Adormecida), Bellocchio mais uma vez trabalha com os temas tabus que lhe são caros. No caso, com a eutanásia, assunto difícil de ser discutido com serenidade num país católico e que abriga o Estado do Vaticano. A história baseia-se no caso real de uma mulher que permaneceu anos em estado vegetativo, enquanto sua família lutava para desligar os aparelhos que a mantinham artificialmente viva. Independentemente dos seus méritos estéticos, "Bela Adormecida" deve proporcionar calorosas discussões no Lido.

Há, entre os selecionados, outros títulos que já despertam interesse prévio. Um deles é "O Útero", do filipino Brillante Mendoza, que concorreu em festival anterior com Lola. Enfim, bons ares para o festival, que começa dia 29 de agosto. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.