Diretor tem quatro peças em cartaz em SP

Ninguém poderia acusar o diretor Marco Antonio Braz de preguiça. Com a estréia nesta quinta-feira à noite, no Teatro Brasileiro de Comédia (TBC), do espetáculo O Beijo no Asfalto, de Nelson Rodrigues, somam quatro as peças por ele dirigidas em cartaz na cidade.Também de Nelson Rodrigues, estão em cartaz Valsa n.º 6, no Teatro Brasileiro de Comédia, e O Grande Dia, comédia inspirada nos contos de A Vida como Ela É, no Teatro Augusta. E Geração Trianon, de Anamaria Nunes, peça que integra o projeto Formação de Público, pode ser vista no Teatro João Caetano.Felizmente não é só uma questão de quantidade. São boas as montagens em temporada e o O Beijo no Asfalto tem tudo para repetir essa qualidade. "Costumo dizer que Nelson conseguiu escrever um texto à prova de maus diretores e atores", brinca Braz. Segundo ele, por mais que se erre, dificilmente se estraga o prazer de acompanhar essa história.A trama é bem conhecida. Arandir testemunha um atropelamento. Aproxima-se do homem agonizante e este lhe pede um beijo na boca. Num impulso, atende o pedido. A cena é testemunhada também por um repórter corrupto que, a partir daí, em parceria com um delegado, torna a vida do rapaz um inferno ao "inventar" e "publicar" uma intrincada trama "comprovando" uma ligação homossexual entre Arandir e o morto.Cada vez mais perplexo, ele não consegue livrar-se da teia ardilosa que o enreda a ponto de destruir sua vida profissional e seu casamento. Braz evitou a leitura não incomum de Arandir como um ingênuo jogado de lá para cá. "Ser testemunha de um atropelamento, da morte de um homem, por si só, afetaria o comportamento de qualquer um de nós. Arandir está sob esse impacto. Ele é um dos poucos heróis positivos de Nelson. O beijo foi uma atitude impulsiva, mas de grande pureza. No universo rodriguiano, o último pedido é coisa sagrada."Na pequena Sala Repertório do TBC, Braz criou um palco de Arena para tornar ainda mais próximos espectadores/testemunhas e atores desta tragédia carioca.Serviço - O Beijo no Asfalto. De Nelson Rodrigues. Direção Marco Antônio Braz. Duração: 1h10. De quinta a sábado, às 22h30. R$ 16 00. TBC - Sala Repertório. Rua Major Diogo, 315, São Paulo, tel. 3115-4622. Até agosto

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.