Russell Cheyne/Reuters
Russell Cheyne/Reuters

Diretor do Festival de Edimburgo diz que artistas recusaram cachê em libras esterlinas

Com 'Brexit', moeda britânica ficou instável e chegou a sua cotação mais baixa

Redação, O Estado de S.Paulo

08 de agosto de 2019 | 13h36

O tradicional festival de artes de Edimburgo enfrentou resistência de alguns artistas que não desejavam receber seu cachê em libras esterlinas, afirmou o diretor do festival, Fergus Linehan, em evento de abertura. De acordo com Linehan, o problema foi causado pela ‘insegurança’ da moeda pós Brexit. As informações são do jornal inglês The Guardian.

Com três semanas de duração, o festival reúne 293 apresentações e mais de 2.500 artistas de diversas nacionalidades. Os espetáculos contemplam as áreas de artes cênicas, música e cinema, entre outros.

Linehan contou que, para assegurar participações no festival deste ano, os organizadores decidiram fixar uma taxa de câmbio entre libras e euros. A moeda britânica atingiu o valor mais baixo dos últimos 28 meses na terça-feira, 6. 

Além da flutuação da moeda, o Festival foi também atingido por cortes no financiamento público. Neste ano, o festival teve um orçamento de pouco menos de 12 milhões de libras. 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.