Divulgação
Divulgação

Diretor de ‘Anita e Garibaldi’ lembra saída de Ana Paula Arósio

Alberto Rondalli fala das dificuldades encontradas pelo filme

Maria do Rosário Caetano - Especial para o Estado, O Estado de S. Paulo

12 de dezembro de 2013 | 11h00

“A atriz protagonista, Ana Paula Arósio, abandonou as filmagens e, por isso, o roteiro teve que ser reescrito em regime de emergência, para adaptar a história à nova circunstância. E veja que, embora não se tenha percebido, houve utilização de dublê para que o filme fosse concluído.”

O desabafo vem do cineasta italiano Alberto Rondalli, diretor de Anita e Garibaldi, produção brasileira filmada em Santa Catarina e no Paraná. O filme, que originalmente se chamava Garibaldi in América, foi rodado majoritariamente em 2005. À frente do elenco, os brasileiros Ana Paula Arósio (Anita) e Gabriel Braga Nunes (Giuseppe Garibaldi), conhecido como herói de dois mundos, por ter lutado na América do Sul e nas guerras de unificação da Itália.

A produção, que estreou na sexta em São Paulo, foi orçada em R$ 7 milhões. Só que faltou dinheiro e as filmagens foram interrompidas. Quando o produtor brasileiro Ruben Gennaro, o mesmo de Oriundi (com Anthony Quinn) e Cafundó (com Lázaro Ramos), conseguiu novo aporte financeiro, recebeu a mais dura das notícias. Ana Paula Arósio não aceitava “nem conversar” sobre uma possível volta ao set.

Gennaro, que enfrentara enormes dificuldades para produzir um épico com cenas de batalhas navais, e o diretor tentaram demover a atriz. Mas não houve jeito. “Nem conseguimos falar com ela. Só recebíamos negativas e o pedido de que não a perturbássemos.”

O produtor paranaense calcula que, para respeitar o roteiro original, havia que se filmar, com Arósio, pelo menos 30% da trama. Sem ela, Rondalli, usou, na segunda fase de filmagens (2010), uma dublê e concluiu o filme do jeito que foi possível.

Genaro conta que a atriz foi “maravilhosa” na primeira fase do projeto, empenhando-se na criação de Anita Garibaldi. Ele garante desejar a ela “muita luz”, e que “volte para o público que a estima tanto”.

O produtor não sabe dizer se Ana Paula Arósio vivia, já em 2010, o momento de reclusão que culminou com sua saída do elenco da novela Insensato Coração, de Gilberto Braga. A atriz, revelada no cinema por Walter Hugo Khouri, em Forever, foi substituída às pressas, na telenovela, por Paolla Oliveira.

Ruben Gennaro garante que Anita e Garibaldi será lançado em todo Brasil e tem certeza que terá boa acolhida na Europa, em especial na Itália. E na América do Sul (Argentina e México à frente). O fato de o filme ser falado em português, sem sotaque, por personagens italianos (caso de Garibaldi e, também, Luigi Rondelli, interpretado pelo ator espanhol Antonio Buil Pueyo, dublado por Paulo Betti) não o preocupa. Acredita ter em mãos “um filme digno, feito com paixão”, mas que enfrentou “grandes adversidades (chuvas, falta de recursos, incompreensão de autoridades italianas da época de Berlusconi e a ausência da protagonista na etapa final de filmagens)”.

Sobre as batalhas navais, que parecem modestas para um épico oitocentista, ele pondera: “Era o projeto estético do filme. Rondalli é discípulo de Ermano Olmi e admirador do neorrealismo italiano. Ele não quis lançar mão de efeitos especiais”.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.