Direto da Fonte

Tubarões

Sonia Racy, O Estado de S.Paulo

13 de setembro de 2011 | 00h00

O Gecep, seção do Ministério Público de São Paulo responsável exclusivamente por investigar corrupção policial, tem nova formação. Com a saída de Fernando Albuquerque de Souza, há pouco mais de um mês, o grupo agora é formado por três promotores substitutos: um com dois anos de MP e outros dois com cinco meses de carreira. Eles foram nomeados pelo procurador-geral.

Indagada sobre a possível inexperiência dos profissionais para desempenhar a função, a assessoria de imprensa responde: "São todos altamente qualificados". Mas avisa que a situação é "temporária".

Doutor candidato O PSDB convidou David Uip, diretor do hospital Emílio Ribas, para ser candidato a prefeito do Guarujá.

Força rosa

Mais um convite. Desta vez de Hillary Clinton para Wanda Engel, do Instituto Unibanco. A brasileira fará parte do recém-criado Conselho Internacional de Liderança Feminina em Negócios. O grupo se reunirá três vezes por ano, em Washington, e fornecerá ao Departamento de Estado dos EUA informações na área de comércio e políticas econômicas internacionais. A missão? Promover o papel da mulher na economia global.

Ensurdecedor

Fecha-se o cerco contra as vuvuzelas na Copa do Mundo de 2014. Ontem, em evento na Fiesp, Ben Groenewald, chefe-geral da polícia da África do Sul, criticou o uso do brinquedo nos estádios.

Sugeriu até que o Brasil proíba o cornetão. Entre outros inconvenientes, o zunido pode encobrir os avisos de segurança nos estádios.

Queijim

O queijo mineiro, quem diria, é tema de polêmica. Helvécio Ratton lançará, no fim do mês, documentário levantando uma questão sobre a iguaria.

Seus produtores, apesar de terem conseguido registro do queijo como patrimônio cultural do Brasil, não têm autorização para comercializar o produto fora do estado de Minas Gerais. Não atendem à legislação federal, criada em 1952.

Eu voltei

Quando o voo que trouxe Roberto Carlos de Jerusalém pousou em Guarulhos, domingo, passageiros gritavam declarações de amor ao Rei. Sem retorno: ele permaneceu recluso na primeira classe.

Bons fluidos

Prestes a ser chamado para falar em Brasília sobre o mensalão, Zé Dirceu decidiu se energizar.

Viajou para a Suíça. Foi ao encontro do amigo Paulo Coelho.

Recursos

Os advogados de Roger Abdelmassih entraram no TJ-SP com mais um pedido de habeas corpus. Querem anular as condenações a 278 anos de prisão. Alegam que, em casos de crime contra os costumes, as vítimas perderam o prazo (de seis meses) para denunciá-lo.

Alta voltagem

Tensão no Encontro Nacional dos Agentes do Setor Elétrico, em outubro. É o que promete a Associação Brasileira dos Grandes Consumidores de Energia. A entidade alega que impostos e encargos - cerca de R$ 18 bilhões em 2011 - diminuem a capacidade competitiva das empresas nacionais. No ranking mundial, somente Itália e Eslováquia cobram mais pela energia.

O evento terá, na plateia, ministros de Estado e representantes de entidades do setor e da Aneel.

Com carinho

Antonio Lins, personagem de Tenda dos Milagres e ex-secretário de Cultura de Salvador, lança novo livro de poemas. Homenagem a Jorge Amado e sua mulher, Zélia Gattai. O escritor baiano faria 100 anos em 2012.

A bênção de Márcia Haydée

"Fazia muito tempo que a dança não me provocava tantas emoções", disse Márcia Haydée, sexta à noite, no camarim do Teatro Alfa, diante de uma Deborah Colker em lágrimas. Era a estreia da coreografia Tatyana, trabalho inspirado na obra Eugene Onegin, de Puchkin.

Estrela internacional da dança nos anos 1960 e 70 (foi a primeira solista do Balé de Stuttgart), Márcia veio especialmente do Chile, onde vive há sete anos, para assistir ao espetáculo. "Fiz justamente o papel de Tatyana na montagem coreografada por John Cranko para a companhia de Stuttgart, nos anos 1960, e me senti emocionada com a bela leitura feita pela Deborah."

Com um sorriso permanente, a coreógrafa sentia-se aliviada. "Se a Márcia não gostasse, eu cancelava a temporada agora", brincou ela, que, pela primeira vez, montou um espetáculo com narrativa. Em cena, Deborah vive o papel do escritor, o russo Puchkin, que acompanha as desventuras amorosas de Tatyana e Eugene.

Muito assediada por bailarinos que a reconheciam na plateia, Márcia Haydée confessou-se impressionada com a agilidade dos profissionais da atualidade. "A desenvoltura física, o trabalho com braços e pernas, tudo parece ser cada vez mais ousado e sem limites."

Em Santiago, ela dirige o Balé Nacional do Chile, cuja experiência internacional ainda é pequena. "Não temos patrocínio para viajar ao exterior; assim, a troca acontece quando recebemos companhias estrangeiras", conta. Foi desta forma que conheceu o trabalho de Deborah Colker, durante uma excursão de Cruel. "Sua passagem por Santiago foi muito útil para o nosso grupo."

Sem perspectivas de voltar a morar no Brasil, a carioca voltou sábado para o Chile. Antes, porém, participou de uma grande festa de confraternização da Companhia Deborah Colker, que festejou até as 4h da madrugada. UBIRATAN BRASIL

Na frente

Jorge Gerdau, Milú Villela e Viviane Senna, entre outros, debatem no Congresso Internacional Educação, promovido pela ONG Todos pela Educação. A partir de hoje, em Brasília.

Attilio Baschera e Gregorio Kramer abrem sua loja hoje, em Higienópolis, para Claudio Hirsch. Ele apresenta o empreendimento El Desafío Mountain Resort, na Patagônia argentina.

Cledorvino Belini, da Fiat, recebe prêmio Personalidade Mundial de Vendas. Segunda, no Clube Sírio.

Fernanda Marques inaugura, amanhã, seu e-commerce de decoração. O SDonline fará parte do Fhits* decòr.

Interinos: Débora Bergamasco, Marilia Neustein e Paula Bonelli.

Colaboração

Débora Bergamasco debora.bergamasco@grupoestado.com.br

Marilia Neustein marilia.neustein@grupoestado.com.br

Paula Bonelli paula.bonelli@grupoestado.com.br

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.