Direto da Fonte

Eles usam black-tie

Sonia Racy, O Estado de S.Paulo

21 de maio de 2011 | 00h00

A festa de entrega do prêmio Homem do Ano, quinta-feira à noite, no tradicional Waldorf Astoria de Nova York, bateu recorde de público nos 41 anos de história do evento: 850 pessoas. Pelo lado brasileiro, o escolhido de 2011 foi Fábio Barbosa, do Santander, e pelo americano, Duncan L. Niederauer, CEO da NYSE Euronext.

Como não poderia deixar de ser, o jantar sentado pelo qual se pagou algo como mil dólares por cabeça, foi permeado por dois assuntos pairando sobre as múltiplas mesas espalhadas no salão gigante: o pedido de demissão de Dominique Strauss- Kahn, do FMI, e a confusão em torno de Palocci.

As conversas em relação ao dirigente do fundo não se concentravam no temor de eventual mudança de diretrizes do FMI. O impacto sentido era mais pela natureza sexual do escândalo, visto que alguns dos presentes o conhecia pessoalmente.

No caso do ministro da Casa Civil, a preocupação era visível e real. Considerado esteio de Dilma, tanto na área política bem como o mais importante interlocutor da presidente junto ao sistema financeiro e empresarial, uma eventual saída forçada de Palocci do governo era considerada absolutamente desastrosa por boa parte do PIB brasileiro.

Entretanto, os dois temas não atrapalharam o brilho da noite black-tie. Escolhido para apresentar Barbosa, FHC foi só elogios. Destacou que "não é todo dia que se tem oportunidade de se fazer uma homenagem a alguém que se admira". E no seu discurso, entremeado por frases ditas em inglês e português, um fato chamou a atenção: as inúmeras vezes em que o ex-presidente classificou o executivo como "figura pública".

Muito já se especulou sobre a possibilidade do atual presidente do conselho do Santander aceitar trabalhar em cargo público. Indagado sobre o assunto, Barbosa sequer admite ter sido convidado para tanto. E repete, como sempre, não ter talento para o setor. Mesmo sabendo ser unânime o reconhecimento dos players da iniciativa privada da sua capacidade de conciliação sem abrir mão de princípios básicos. Característica essa que o credenciaria para voos mais altos.

Como bem frisou Fernando Henrique, a crença de Barbosa nos "valores universais e na ética embasaram seu trabalho de transformação da sociedade". E lembrou ter sido o executivo o primeiro do setor financeiro a "militar" a favor do meio ambiente em 2001. Quando instituiu regra, no Banco Real, de veto a empréstimos para empresas que comprovadamente danificam o meio ambiente.

Emendando na fala de FHC, Barbosa, emocionado (levou consigo família e grupo de amigos históricos), falou sobre sua trajetória e pregou: hoje, a reforma mais urgente na sociedade é a reforma de valores. Deixou bem claro que há, sim, como fazer as coisas certas do jeito certo. "O jogo é duro, mas miramos na bola e não na canela do adversário", ensinou.

No fim do seu discurso, uma frase deixa dúvida no ar sobre seu futuro profissional: "Nós precisamos ser a mudança que desejamos no outros".

Viajaram a NY para prestigiar o Homem do Ano Roberto Setubal, Pedro Moreira Salles, Carlos Alberto Vieira, Pérsio Arida, Jose Olympio Pereira, Luis Felipe e Luis Octavio Índio da Costa, Antonio Maciel, Candido Bracher, Wilson Ferreira, Josué Gomes da Silva, José Berenguer, Maurílio Biagi, entre outros. Dilma, por sua vez, mandou texto que foi lido no palco. E Jorge Paulo Lemann gravou vídeo especial.

SONIA RACY VIAJOU A CONVITE DA CÂMARA DE COMÉRCIO BRASIL-EUA, IDEALIZADORA DO PRÊMIO.

Aguardadas

O Masp receberá ano que vem duas exposições de peso: Giorgio de Chirico e Modigliani.

Oxalá

Cultura em alta, com as bênçãos de Oxalá. Antônio Lins, ex-secretário de Cultura de Salvador, deve ser candidato a vice-prefeito na chapa de Juca Ferreira, ex-ministro da Cultura.

Na cidade onde todos são filhos d"Ogum.

Aperto

Palocci é alvo também na Câmara Municipal de SP. Vereadores prometem entrar com requerimento para obter informações da consultoria Projeto, quarta-feira, na reunião da Comissão Permanente de Finanças e Orçamento. Querem saber quanto a empresa do ministro pagou de ISS e se houve sonegação.

O presidente da comissão, de nove membros, é Antonio Carlos Rodrigues, suplente de Marta Suplicy. O requerimento terá que ser aprovado pela maioria.

Lucro

Maurício Tonhá, empresário e prefeito de Água Boa (MT), tem missão e tanto: vender 25 mil bois por R$ 17 milhões, hoje, no megaleilão da Estância Bahia. Isso, um mês depois de conseguir um feito: faturar R$ 36 milhões por 41 mil cabeças de gado.

Ponto chic

A rua Bela Cintra, lado Jardins, ganha loja de 800 m² e 23 ambientes: a Star Home.

Flávia Martini recebe clientes em esquema "soft opening" até a tarde de hoje.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.