Direto da fonte

Quatro patas

Sonia Racy, O Estado de S.Paulo

15 Abril 2011 | 00h00

Ao se deparar com o levantamento de contas feito pela nova diretoria do Jockey, é difícil entender porque tanta briga para presidi-lo. Com passivo tributário de R$ 323 milhões, o Jockey chegou a "faturar" mais de R$ 400 milhões em 2010. Mas deste total, só 25% vem diretamente do turfe.

Aluguéis, eventos, arrendamentos de imóveis, mensalidades e taxas de serviço significam algo como 75% do total.

Quatro patas 2

Em relatório assinado por Eduardo Rocha Azevedo, que circula entre sócios, fala-se sobre encomendar uma "due diligence" de todo passivo. Depois, sugere-se que por ser dono de expressivo valor em imóveis, "cuja monetização poderia viabilizar investimentos necessários", o Jockey faça inventário.

Já sabem que quatro dos 12 imóveis não têm valor de locação: prédio da escola, imóvel de Osasco, prédio da veterinária e centro de Campinas.

Quatro patas 3

Ao final, um aviso alertando que a diretoria do Jockey tem como princípio o fortalecimento do turfe: "É a razão central da nossa existência como entidade".

Corda

Na disputa entre Record e SBT pelo apresentador Roberto Justus, só uma coisa é certa: SS tem dito que não vai abrir mão da multa, principalmente por ser a Record.

Quem veio

Está em São Paulo, pela primeira vez, Henri Loyrette.

O presidente do Museu do Louvre será centro de jantar, sábado, oferecido pela condessa Graziella Leonetti para o qual também foram convidados patrocinadores do museu francês e do Metropolitan de NY.

Nos is

Empresário que está na China lamentou à coluna sobre falta de consulado brasileiro no Cantão. Notícia dada, o Itamaraty enviou e-mail dizendo que existe sim, desde abril de 2010, quando, segundo o ministério, foi dado início "das comunicações do posto" assumido pelo embaixador Kywal de Oliveira.

A coluna, intrigada, descobriu: o "consulado" está lotado no The Golden Hotel e possui uma única linha telefônica. Não renova documentos, concede visto, emite certidões ou realiza outras atividades protocolares.

Os que participam da Cantão Fair esperavam mais.

Martírio

Vizinhos da sede da Igreja Mundial do Poder de Deus estão ansiosos para conferir o resultado da audiência entre MP e responsáveis pelo templo, realizada ontem, no Fórum Hely Lopes Meirelles.

Moradores do Brás reclamam que os evangélicos continuam a desrespeitar ordens judiciais.

Bancarização

Quem avisa amigo é: a única forma do Santos liberar Ganso é ter em mãos o recibo do pagamento da multa.

Blindagem

Números mostram que 45% das casas reforçaram a segurança depois dos assaltos em março. Foram dez ocorrências, e cerca de 80% delas em Pinheiros e Vila Madalena.

A pesquisa é da Associação Nacional de Restaurantes.

360º

Bono está adorando a noite paulista. Depois do seu último show em São Paulo, anteontem, no Morumbi, passou pelo Bar Secreto.

E, para no máximo 50 pessoas, improvisou Psycho Killer, dos Talking Heads.

Na frente

A Livraria Cultura, em parceria com a Latitude, entra no ramo das viagens de conhecimento. Começa com quatro roteiros: Inhotim, São Paulo, Grécia e Vinícolas da Toscana.

Paula Toller canta na festa de dez anos da Tiffany & Co. Terça, no Shopping Iguatemi.

Silvia Leblon estreia hoje Spirulina em Spathódea. No Teatro Studio 184, na Pça. Roosevelt.

Luciano Chuquer e André Massita comemoram dois anos da banda Wonkas. Amanhã, no Na Mata Café.

Beatriz Bracher e Noemi Jaffe comandam sarau literário na Biblioteca Mário de Andrade. Amanhã, na programação da Virada Cultural.

Jaqueline Martins abre sua galeria com exposição de Alex Vallauri. Amanhã.

Flanelinhas cobrando R$ 100, estacionamento a R$ 200, taxistas querendo no mínimo R$ 130 para qualquer destino. São relatos de quem foi aos shows do U2 no Morumbi. Já imaginou na Copa?

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.