Direto da fonte

Marcha trocada

Sonia Racy, O Estado de S.Paulo

08 Abril 2011 | 00h00

Na sua justa luta para segurar a cotação do real, Guido Mantega adotou a estratégia de deixar saber, antecipadamente, que sairão do forno medidas cambiais. O que tem acontecido? Até agora, só desgaste para o ministro da Fazenda.

Anteontem, data do alardeado anúncio, o dólar se valorizou muito pouco antes do pronunciamento de Mantega: 0,3%. E ontem, o real voltou a se valorizar logo na abertura do mercado em 0,9%. Na mão contrária pretendida por Mantega. Preocupado, o ministro marcou para o fim da tarde de ontem, novo pronunciamento.

Marcha trocada 2

Na verdade, será bem difícil evitar a nociva desvalorização do dólar no mundo caso não ocorra fato inesperado. O Brasil optou por jogar areia na engrenagem para desacelerar a valorização do real. Até a aplicação direta de uma quarentena seria coisa paliativa, segundo especialistas. O problema é mundial.

Entretanto, a estratégia traçada pela Fazenda está, sim, aquém das expectativas.

Caso Rio

Alice Ribeiro, do Instituto Sou da Paz, reforça a ideia do desarmamento: "De onde saiu a arma que estava com esse garoto? Como foi feita a fiscalização?", indaga sobre a tragédia do atirador da escola no Realengo.

Em seu Twitter, Luiz Eduardo Soares, ex-secretário do Rio, também defendeu extinção das armas de fogo banidas no País.

Além da vida

A imaginação alcança o impossível, tratando-se de política.

É o caso de quem está espalhando que Serra poderia assumir o lugar de Afif na secretaria do governo do Estado.

Indigestão

Pelo terceiro ano consecutivo, a Ofner produz o maior ovo de Páscoa de São Paulo. Ele pesa 205 kg, levou 40 dias para ficar pronto, tem 1,45 m e 3,5 m de circunferência. Recheio? 3.439 bombons.

Avaliado em R$ 21,3 mil, não estará à venda: será doado terça, em festa na Casa Hope.

English

Diferente da praxe, New York, New York será cantado em inglês: com as devidas legendas para o público.

Inovação de José Possi.

Data querida

Roberto Carlos decidiu: depois do show beneficente, dia 19, em Vitória, segue para Cachoeiro do Itapemirim. O Rei, que faz 70 anos este dia, convidou alguns poucos íntimos para jantar informal na cidade onde nasceu.

Na lista, por enquanto, não estão Erasmo Carlos e Wanderléa.

E-mago

JK Rowling sucumbiu às forças digitais. Sopram os ventos que a escritora de Harry Potter irá liberar a saga para os e-books.

Montanha e Maomé

Júnior, como é conhecido o dono da Hypermarcas, colocou um fim na sua dor de cabeça.

Nada relacionado à empresa ou saúde. E, sim, ao casamento de sua filha, com festão previsto desde o ano passado para dia 16, na Sala São Paulo. Foi transferido para a Hípica Paulista por causa da... Virada Cultural.

My name is John

Bruce Dickinson, líder do Iron Maiden, bem que tentou passar despercebido em Curitiba. Circulou no Crowne Plaza vestindo seu uniforme de piloto - costuma levar a banda em turnês.

Até o primeiro fã o reconhecer.

Na frente

Leônidas Cristino, ministro dos Portos, prometeu a Linamara Battistella, da secretária dos Direitos da Pessoa com Deficiência, adaptar os portos. Em jantar, em São Paulo. Vai cumprir?

British Airways promove amanhã voo especialíssimo. Levará crianças da Ação Comunitária Despertar para passear durante uma hora.

O Sonique inaugura o projeto Domingo no Parque, balada cult que divulga espetáculos. A discotecagem será de Marco Furlan. Em maio, entra Fafá de Belém. No Ibirapuera.

Linda Kohen abre exposição na Dan Galeria. Amanhã.

Carlos Tramontina esteve no Palácio dos Bandeirantes convidando Alckmin para o lançamento de seu livro sobre o rio Tietê, amanhã, na Livraria Cultura. Cobrou também a despoluição?

A peça Mão na Luva será encenada hoje e na próxima sexta no Viga Espaço Cênico.

A trilha sonora do casamento do príncipe William e Kate Middleton deve ser disponibilizada para download. Título? The Royal Wedding: The Official Álbum.

Paparazzi amadores

O recital de Keith Jarrett anteontem, na Sala São Paulo, foi eclético. Com ingressos entre R$ 200 e R$ 400, o público reuniu um misto de jovens músicos, fãs do pianista americano, e conselheiros da Osesp como Pedro Moreira Salles, Rubens Barbosa e Luiz Schwarcz.

Aplaudidíssimo entre uma performance e outra, o pianista demonstrou desconforto com tosses e, especialmente fotos. Sequer o aviso prévio da produção ou os pedidos do próprio artista foram suficientes para conter os "fotógrafos" amadores.

O mal estar do pianista - que culminou em sua saída antes da derradeira música do bis - espalhou-se entre o público. A cada clique, vaias. "Dinheiro não é sinônimo de educação. Olha aí o exemplo, uma elite cultural não sabe respeitar regra tão simples", comentou uma espectadora que preferiu não ser identificada.

E Jarrett fechou a noite: "Peço desculpas aos que não estão fotografando, mas eu não irei mais tocar." A frase foi replicada ontem no Twitter.

Destino? O músico não passou mais que 24 horas em SP. Aterrissou em solo brasileiro, foi direto para o show e depois, Rio. Lá fica até sábado e se apresenta no Municipal.

MARILIA NEUSTEIN

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.