Direto da Fonte

Na contramão

Sonia Racy, O Estado de S.Paulo

11 de janeiro de 2011 | 00h00

A nova Lei da Filantropia, que redefine o peso de procedimentos hospitalares para que instituições sejam consideradas filantrópicas, tem recebido críticas de peso.

Ricardo Brentani, presidente do Conselho da Fapesp e diretor do hospital A.C. Camargo, é um dos que a questionam. Ele diz que a nova lei, regulamentada no apagar das luzes do governo Lula, "privilegia a internação e despreza o tratamento ambulatorial, gerando custos muito maiores ao sistema".

Assim, segundo ele, a quimio e a radioterapia passam a valer quase nada no cálculo do volume de atendimentos feitos para o SUS. "É um bom caminho para a desorganização do atendimento de pacientes com câncer", explica.

Na contramão 2

Instituições filantrópicas têm, de acordo com a legislação, isenção de alguns impostos.

Queda de braço

O ano nem começou e a movimentação para 2012 já é intensa. Até o pequeno PSOL já vive uma disputa interna para saber quem será o candidato a prefeito da capital. Favorito, Ivan Valente, deputado federal, já conta com adversário interno: Carlos Giannazi, estadual.

Nanicos unidos

Como se já não bastasse a disputa contra o PMDB, a turma do PT na Câmara dos Deputados tem outro abacaxi. Levy Fidelix articula minibloco dos nanicos na Casa. Por suas contas, conseguiria 24 deputados. A ideia é reivindicar uma cadeira na mesa diretora.

Upgrade

Em sua primeira viagem internacional como ministro à Argentina, Antonio Patriota também estreou novo estilo gastronômico. Saiu o tradicional jantar de chá de camomila e torradas, menu típico de Celso Amorim. E entrou bife de chorizo com vinhos.

Passista

Ronnie Wood largou o rock para cair no sambão da mangueira no fim de semana. O Rolling Stone quer voltar ao Brasil no carnaval.

Pluma

O corpo de funcionários da Embraer em São Paulo está leve como um planador.

Depois que o Vigilantes do Peso se instalou na empresa, empregados emagrecerem juntos quase... uma tonelada em 2010.

Loura quente

Paris Hilton confirmou rasante na SPFW, que começa no fim do mês. Acaba de assinar contrato e vai desfilar para a Triton.

Fanhouse

O fã-clube Trouble, de Amy Winehouse, está com agenda intensa em três capitais -Rio, São Paulo e Recife- para trocar "vivências".

O curioso é que o grupo se identifica com um pedaço de papel onde se lê: "I"m trouble".

No, no, no

Miranda Kassin, cover de Amy, e seu marido, André Frateschi, decidiram: não tocarão nada do repertório dela no show de sábado. "Nada a ver, né? Vamos dividir o mesmo palco!", conta Frateschi, que vai centrar fogo na música negra dos anos 60.

Escândalo

Debora Duboc, a Olga de Passione, vai encarar Nelson Rodrigues. A atriz prepara-se para atuar em A Mulher Sem Pecado, projeto que marca o início das comemorações dos cem anos de nascimentos do autor pernambucano. Direção de Alexandre Reinecke.

Estrela

Cher reestreia show em Las Vegas hoje com casa lotada. Ecos da reaparição nos cinemas, em Burlesque.

Na frente

A Shell informa que foi feito acordo com a Cosan para criação de uma joint venture entre as duas empresas, cada uma com participação de 50%. A ideia é que produzam, distribuam e exportem etanol.

Otto sobe ao palco do SESC Vila Mariana. Sábado.

Cultura do Perfume _ Essência e Ciência é o novo curso de pós-graduação da Faculdade Santa Marcelina.

A partir do mês que vem.

Interinos: Débora Bergamasco, João Luiz Vieira, Marilia Neustein e Paula Bonelli.

Colaboração

Débora Bergamasco debora.bergamasco@grupoestado.com.br

João Luiz Vieira joao.vieira@grupoestado.com.br

Marilia Neustein marilia.neustein@grupoestado.com.br

Paula Bonelli paula.bonelli@grupoestado.com.br

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.