Direto da fonte

O direito de não nascer

Sonia Racy, O Estado de S.Paulo

19 de outubro de 2010 | 00h00

A confusão da novela estabelecida pela Operação Satiagraha continua com mais um capítulo. Eduardo Antônio Dantas, subprocurador-geral da República, no Ministério Público Federal, deu parecer favorável para se trancar a investigação contra Daniel Dantas. Ele questiona a legalidade do uso da Abin, que teria iniciado os grampos telefônicos e o monitoramento de computadores dos investigados antes mesmo da instauração de inquérito na PF.

Sua opinião contraria parecer dado anteriormente pelo próprio MPF, que se posicionou a favor dos métodos usados pelo TRF.

Hedge literário?

Depois de um hedge político - eleito deputado, favorecido pelos votos dados a Tiririca, tem agora imunidade parlamentar -, Protógenes Queiroz prepara livro sobre os bastidores da Satiagraha. Debruçado sobre duas propostas - ser entrevistado por um jornalista ou relato em primeira pessoa -, avisa: "Vou contar tudo com riqueza de detalhes". Quer lançar o calhamaço em 20 de maio, data de seu aniversário.

Pesquisa falha

Um dia antes das eleições do primeiro turno, Jutahy Magalhães se encontrou com João Santana em restaurante de Salvador. "Se prepare para trabalhar mais 30 dias", disse o tucano ao marqueteiro de Dilma. "Já estou de férias, tenho certeza que as eleições acabam amanhã", rebateu Santana. Foi obrigado a rever seus planos.

Buena educación

Bastante movimentada a noite de sábado no restaurante Piselli, em SP. De um lado, mesa de quatro comandada por Marta Suplicy. De outro, FHC conversava com o embaixador Sérgio Amaral. Ao saber que Marta também estava ali, o ex-presidente não resistiu: "Ela está aí? Vou então abraçar minha colega de colégio...".

Esquenta

Já tem endereço o gabinete de transição do próximo presidente. Será no CCBB, em Brasília, mesmo espaço ocupado por Lula durante a reforma do Palácio do Planalto.

Dou-lhe uma...

Foi anunciado, sexta, que o livro de George W. Bush, Decision Point, terá uma tiragem inicial de 1,5 milhões de exemplares nos EUA. O número deixou as editoras brasileiras ouriçadas. E a pergunta ontem era: quem será que vai conseguir arrematar o título no Brasil?

Debate

Mais um debate focado no uso do conteúdo para programas eleitorais de televisão. Foi essa a conclusão de boa parte dos que estavam presentes, domingo à noite, no auditório da Rede TV!. Dilma e Serra aderiram, disciplinados, à ditadura do termômetro do marketing político da vez e foram estudadamente menos agressivos na comparação com o primeiro debate na Bandeirantes. Já a plateia extrapolou, com direito a vaias e uivos. Destaque para comentários em voz alta de Marta Suplicy e Zulaiê Cobra.

Os tucanos e democratas compareceram em massa e foram os primeiros a chegar e a sentar. Os aliados de Dilma, ao entrarem, ignoraram os que já se encontravam no espaço reservado aos convidados de Serra. Exceção feita a Antonio Palocci, que parou para cumprimentar os opositores da escolhida por Lula. Chamaram a atenção, entre tucanos e petistas, os abraços apertados e conversas ao pé do ouvido de Kassab para Michel Temer.

Ao fim do programa, ambos os lados juravam haver vencido.

Debate 2

Com o anúncio de neutralidade Marina, Geraldo Alckmin deixou de lado a gravata verde usada no último debate e optou pelo tradicional azul. Rui Falcão surgiu de jaqueta de couro marrom, ainda no clima da vigília que fez na gráfica onde foram encontrados panfletos contra Dilma na madrugada de sábado para domingo. Exibia a quem passava o famigerado folheto.

E essa Zé Aníbal teve que levar para casa. Foi confundido duas vezes com Aloysio Nunes Ferreira.

Na frente

Ritmo pra lá de lento. Entre 8 horas e meio dia de ontem, quem esperou na fila do show de Paul McCartney, no Pacaembu, contabilizou: venderam algo como 290 ingressos.

Tony Blair fala em seminário do Lide. Dia 26, no Unique.

Roberto Setubal, Rubens Barbosa e Stephen Bosworth são convidados do simpósio Brasil Potência Emergente. Quinta, na Fecomércio.

Acontece, hoje, concerto da Camerata Aberta sob regência de Felix Krieger. No Masp.

O Cardeal e o Repórter, de Ricardo Carvalho, recebe dia 25, o Prêmio Vladimir Herzog de Direitos Humanos, no Tuca.

Abre mostra de Marcelo Brodsky, sábado, na Pinacoteca.

A exposição Joaquim Nabuco: O Valor da Palavra Empenhada inaugura, amanhã, no Congresso Nacional.

Tutu Cardoso de Almeida lança a coleção Foto Aplicada no Jardim Paulista. Sexta.

É hoje o concerto da Orquestra Filarmônica da Rádio France para crianças carentes, na Sala São Paulo. Com apoio da Secretaria da Cultura do Estado.

Ara Vartanian abre, hoje, novo espaço de joias no Jardim Europa.

Circulou nos bastidores do debate, o Baralho do Mensalão com José Dirceu e Eduardo Azeredo, entre as cartas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.