Direto da fonte

Multiplicação

Sonia Racy, O Estado de S.Paulo

06 de outubro de 2010 | 00h00

Se ficar mesmo comprovado que Tiririca é analfabeto, ele terá, ao menos, mais dez dias para se alfabetizar. Este foi o prazo dado por Aloísio Silveira, juiz eleitoral, para que o palhaço apresente sua defesa. No MPE, acredita-se que ele usará este tempo de "descanso" no Nordeste, para onde foi assim que a eleição terminou, com este objetivo.

O período pode ser prolongado caso seus advogados entrem com habeas corpus para tentar trancar o processo ou retardar a data da audiência. Quando Francisco Everardo fará uma "prova dos nove".

Soma

Maria Helena Rovere, consultora-educadora da Unesco, avalia que com um intensivão é possível um adulto se alfabetizar neste prazo. "Pode pelo menos aprender a redigir um ditado, mesmo que não compreenda o conteúdo." O que seria suficiente para a legislação eleitoral.

Subtração

Aprovado no teste, ainda assim não ficará livre da acusação de falsidade ideológica e documental. Para Tiririca sair dessa, é preciso que sua caligrafia bata com a da declaração apresentada à Justiça Eleitoral no dia do registro de sua candidatura.

Tentativa

Márcio Thomaz Bastos se comunicou por telefone com as advogadas do PT, Marcela Cherubini e Débora de Carvalho Batista. No fim da noite de domingo, elas foram à sede do TRE-SP encontrar com o desembargador Walter de Almeida Guilherme e pressioná-lo a aceitar petição que validasse os votos conferidos a Paulo Bufalo , do PSOL, o que poderia levar a eleição para o segundo turno.

Foi por volta das 11h da noite que as petistas jogaram a toalha: nem com os 0,34% de Bufalo Mercadante teria chance.

Na boca do gol

Prestes a sair do forno, documentário sobre Tancredo Neves espera a aprovação de Aécio. O senador eleito não teve ainda tempo assistir ao filme. Entretanto, o diretor Silvio Tendler aposta na exibição este ano, quando se comemora o centenário do ex-presidente.

Munição fraca

Como previsto, de nada adiantou aumentar o IOF para segurar o dólar. Com o mundo não querendo mais saber da moeda americana, Guido Mantega não pode achar que a valorização do real é pessoal. Terá que dar tiro de canhão se quiser segurar a cotação, sem medo de atrapalhar as eleições.

Triiiim

Se abstendo em revelar a estratégia de agora em diante, Luiz Gonzalez, marqueteiro de Serra, tenta explicar o erro nas pesquisas que não previram o segundo turno. "Não sou especialista, mas nosso tracking telefônico deu certo. O que me faz acreditar que talvez este sistema funcione melhor", avaliou ontem.

Diferentemente da pesquisa feita nas ruas ou nos domicílio, a realizada via telefone dá opção a quem atende de desligar e não revelar nada. "O eleitor não se inibe em bater o telefone", conta. Já nas ruas, segundo Gonzalez, quem não quer responder, responde, e acaba distorcendo a coleta de informações. Nas casas, pelo acesso ser mais difícil, o esforço é triplicado e menos produtivo.

Nota não só

Sobre o que poderia ser um novo jingle, conforme publicou a coluna ontem, - "Serra é gente boa, Serra é do bem" - Gonzalez afirma ser o mesmo usado em 2004, agora com nova roupagem. Explica, entretanto, que a campanha, a exemplo do primeiro turno, não terá um só jingle. "Vamos fazer três ou quatro clipes."

Caminhos

A pelo menos um interlocutor, FHC levantou a hipótese de ter Marina como vice de Serra no segundo turno. Mas pelo que se apurou, a legislação não permite.

Se fosse Gabeira a substituir Indio da Costa, existiria uma brecha: o PV se coligou com o PSDB no Rio.

Prestígio

Há 40 anos, Richard Meier comprou livro sobre as obras de Oscar Niemeyer. No sábado, em encontro marcado com o arquiteto brasileiro no Rio, ele levará a edição para ser autografada.

O arquiteto americano, reconhecido mundialmente, conhece o Brasil. Pelas mãos de Felipe Diniz.

Homem de ferro

Niemeyer, aliás, foi visto em restaurante carioca, sexta à noite, com mais sete amigos.

Comendo e... Bebendo.

Na frente

Muitos estranharam que os comentários apimentados feitos no Manhattan Connection, domingo, não foram reprisados pela GNT como de hábito. A assessoria da emissora justifica: o conteúdo estaria... Desatualizado.

Rosangela Lyra trouxe, de Paris, pesquisa que colocou a Dior do Brasil em segundo lugar no mundo. Em atendimento e atmosfera visual.

Apresentada, ontem, no Reserva Cultural, a campanha da Unicef, feita pela Nova S/B, promete alarde. Sobre desigualdade e direito da criança.

A exposição Gregorio Gruber - Passeios abre, amanhã, no Lugar Pantemporâneo.

Mesmo com Dilma e Marina, as mulheres ainda são minoria na política. Das 54 vagas no Senado, só sete foram conquistadas pela ala feminina.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.