Direto da Fonte

De mão em mão

Sonia Racy, O Estado de S.Paulo

11 Setembro 2010 | 00h00

Depois de ter comprado da Previ o imóvel do ex-Hospital Matarazzo, o fundo WWI negocia parcerias com quatro grupos diferentes. Segundo fonte do ramo, o WWI teria pago R$ 6 milhões iniciais e tem que desembolsar mais R$ 120 milhões até o fim do ano.

O interesse é grande.

Airbag

Eliana Vendramini, promotora de casos como o desmantelamento dos bingos e a morte do prefeito Celso Daniel, se recupera do susto.

Há duas semanas, sofreu acidente em via expressa de SP, quando um Gol bateu repetidamente na lateral de seu veículo blindado, jogando-a na guia. Capotou três vezes. Fugiram sem prestar socorro.

Tempo quente

A Skol recorreu em última instância, mas não deu. O Conar recomendou, em decisão unânime, a suspensão do anúncio em que uma mulher tira a roupa enquanto comenta a previsão do tempo.

O escolhido

Flávio Rocha, da Riachuelo, fez ontem jantar em sua casa, em torno de Antonio Palocci.

Invasão

O site de Geraldo Alckmin foi alvo de ataques de hackers russos. Os criminosos s provocaram 80 mil acessos simultâneos por segundo e o serviço ficou fora do ar por cinco horas, na terça. O boletim de ocorrência foi registrado na delegacia de crimes eletrônicos.

Radar

Agora parece que ele vem. A produção de Paul McCartney consultou o Estádio do Morumbi para abrigar show do ex-Beatle em novembro ou dezembro.

Brasilwood

Kathryn Bigelow - única mulher a ganhar o Oscar de Melhor Direção - está no Brasil. A diretora de Guerra ao Terror visitou Foz do Iguaçu, junto com o produtor Ivan Teixeira.

Motivo? Possíveis locações para seu novo longa Sleeping Dogs.

Partitura

Sabine Lovatelli, do Mozarteum, parte para Bonn na semana que vem, acompanhada por Edilson Ventureli, parceiro do Instituto Baccarelli. Falará no Simpósio Beethovenfest sobre a Sinfônica Heliópolis, que estreia na cidade dia 4. Os músicos tocarão também em Berlim, Dresden e Munique.

Na frente

Em meio a seu aniversário, segunda, Deuzeni Goldman voou até NY para reunião sobre tecnologia da informação na ONU. Goldman e seus dois filhos a acompanharam.

Hebe estreia dia 27 de outubro, no Credicard Hall, novo show. Participam Maria Rita, Leonardo, Fábio Jr., Daniel, Chitãozinho & Xororó e Barra da Saia. Com direito a gravação de DVD.

As inscrições para o Prêmio Governador do Estado ficam abertas até o dia 30.

Ciro Lilla, da Mistral, reúne nove produtores de vinho de Bordeaux em degustação no Grand Hyatt. Segunda.

Beto Pandiani lança Travessia do Pacífico. Segunda, na Livraria da Vila do Shopping Cidade Jardim.

O grupo Lego promove jantar para o príncipe Joachim e a princesa Marie da Dinamarca. Segunda, no Renaissance.

Guilherme Ribeiro faz show, amanhã, no Museu da Casa Brasileira.

Ferreira Gullar autografa Em Alguma Parte Alguma na Cultura da Paulista. Segunda.

Filho de peixe é lagartixa? Às vezes, até é. Wanderley Nunes está em Monza, na Itália, para a última etapa do GP3. Tudo para assistir de perto a performance de seu corredor mais que predileto: o filhote Pedro Nunes.

Behind the Bush

A economia americana não se recupera tão cedo. Pelo menos, é o que afirmou George W. Bush anteontem, ao responder perguntas durante jantar para 40 convidados, realizado no Nonno Ruggero do Hotel Fasano.

Destino da política americana? Sem nominar Obama, ironizou: "A política muda muita depressa. Uma hora é Prêmio Nobel e em outra, não está tão bem".

Iraque? "O mundo é melhor sem Saddam Hussein, ninguem pode negar." Fez questão de contar onde estava e como reagiu ao ataque das torres gêmeas, há exatos nove anos. E em uma tentativa de justificar sua perplexidade publica à época, contou: "Tentei me concentrar e procurar a serenidade interior...". Sem sucesso. Sua missão na vida? " Luto pela democracia e pela liberdade."

O ex-presidente elogiou Lula e o Brasil. Confessou não conhecer Dilma e não mencionou Serra. Simpático, de raciocínio rápido, foi classificado como um texano típico. Ex-alcoólatra, tomou só água durante as três horas em que esteve no recinto.

Bush veio a convite da Fairfax, mais precisamente de seu dono, Prem Watsa, que apesar de indiano, é considerado o Warren Buffet canadense, administrando US$ 28 bilhões.

Chegou a São Paulo no avião do amigo que pretende entrar forte investindo no País. Ambos foram arredios à imprensa. Tanto que Bush pediu na noite que, da sala, não saísse qualquer informação.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.