Direto da fonte

No ar

Sonia Racy, O Estado de S.Paulo

06 de agosto de 2010 | 00h00

Teria sido uma mudança tecnológica teoricamente simples a responsável pelo recente caos aeroportuário causado pela Gol, segundo alta fonte da empresa. O ajuste das escalas da tripulação, introduzido em 1º de julho, sem maiores problemas, colapsou no fim do mês. E resultou na NÃO convocação de tripulação para os respectivos voos. O problema no sistema começou na sexta, saindo do ar sábado. Na segunda-feira, estava instalada a confusão.

Em outras palavras, as equipes ficaram perdidas sem saber onde e quando se apresentar. Enquanto os aviões permaneciam no chão.

No ar 2

O ajuste no sistema, comprado da Lufthansa em 2000, foi sugerido como algo simples. O que fez com que a diretoria da Gol aprovasse a mudança em mês de pico de demanda, contrariando suas próprias regras.

É norma da empresa não aprovar qualquer alteração nos meses de janeiro, fevereiro e julho.

No ar 3

Mas a empresa queria se adaptar rapidamente ao acordo já fechado com a tripulação de cabine: o de não mais cancelar folgas com 48 horas de antecedência. O espaço de tempo foi estendido para 96 horas.

No ar 5

Punições? O entendimento da direção da Gol é de que existem responsáveis e existem culpados. A diferenciação tem que ser levada em conta...

Etapa por etapa

Antes de assumir as finanças da campanha de Marina Silva, Álvaro de Souza consultou as quatro empresas das quais é conselheiro: Gol, Ambev, Martins e Unidas. "Nenhuma quis que eu me licenciasse." Isto posto, Álvaro se licenciou da única em que era conselheiro e presidente-executivo: a WWF.

Só da ajuda a seu time, o Santos, é que ele não abriu mão.

Alívio

Depois da guerra declarada entre os músicos da Orquestra Sinfônica Municipal contra o maestro, Rodrigo de Carvalho, parte dos profissionais temeu represália: a não prorrogação de seus contratos temporários, reeditados a cada três meses.

Alarme falso. O Diário Oficial do Município publicou anteontem pedido de documentação para revalidar todos os contratos.

Leves prestações

A Igreja Mundial do Poder de Deus, do pastor Valdemiro Santiago, oferece o Carnê da Coluna Sagrada. O fiel que solicitar o boleto deve pagá-lo durante 12 meses. E escrever seu pedido de oração no verso de cada folha.

O valor mínimo de R$ 50 dá direito a uma toalha de rosto consagrada em um "monte", que pode ser... o Pico do Jaraguá.

Forte movimento

A Standard & Poors aumentou ontem o rating do Banco Safra.

Corrente do bem

A Americas Amigas faz seu segundo jantar para arrecadar recursos destinados a compra de mais seis mamógrafos. Eles serão doados para hospitais. No ano passado, foram dez. Segunda-feira, no Grand Hyatt.

Teoria e prática

Tudo corria bem em seminário para educadores sobre homofobia nas escolas, na Unesp de Assis. Até que o palestrante, gay assumido, lascou beijão na boca de outro professor. A plateia entrou em choque.

Na frente

A AACD comemora 60 anos com apresentação de João Carlos Martins, orquestra Bachiana mais Daniel e Simone. Terça, na Sala São Paulo.

Anete Abramowicz e Paulus Gerdes palestram sobre educação e diversidade no Ponto do Livro. Hoje.

Bruno Senna almoça hoje com Luis Octavio Indio da Costa, do Cruzeiro do Sul.

Direto da Flip

Antes de chegar em Paraty, quarta, a estrela internacional da Flip deste ano Salman Rushdie aceitou jantar com João Moreira Salles no Bar Lagoa, no Rio e levou consigo, o filho, Milan, de 13 anos. Refeição feita, partiram para a cidade histórica. No caminho, o menino acabou levando um pito carinhoso do pai. Totalmente embasbacado com a paisagem, Salman pediu: "Pare com esse joguinho eletrônico e aprecie o País".

No quesito romance, não tem para ninguém. Isabel Allende e William Gordon andam arrancando suspiros pelas ruas da cidade. Quando indagado sobre o que pensa da mulher, ele, que também é escritor, não titubeou: "Depois de dois casamentos, encontrei a mulher da minha vida".

Além de bem amada, a escritora criada no Chile é aventureira. Chegou de jatinho terça-feira e logo embarcou em um saveiro acompanhada da editora Liz Calder. Impressionada com um restaurante em uma ilha da região, soltou: "Isso parece aventura no melhor estilo Robinson Crusoé".

Grande galã desta edição, o irlandês Colum McCann está totalmente família. Além da mulher, o escritor trouxe os três filhos que se esbaldaram na praia de Copacabana. A mais velha, Isabela, é fanática por futebol e já pediu ao pai para providenciar uma camiseta de algum time brasileiro.

Colum impressionou os editores da Record com uma única exigência: escolheu o bairro de Santa Tereza, considerado perigoso, para se hospedar no Rio.

E quem terá que resistir ao gostinho da tradicional cachaça da região é o badalado Robert Crumb. O quadrinista americano não ingere bebidas alcoólicas.

Apesar de não ser a primeira vez de William Kennedy no Brasil, o moço ficou hipnotizado com o paraquedista motorizado que riscava o céu de Paraty, no fim do almoço. E o americano fez um pedido: quer conhecer a Igreja de São Benedito, antigo ponto de encontro de negros da cidade.

O show de abertura da festa foi aplaudidíssimo, porém contou com um conhecido problema da Flip: o barulho das pessoas na Praça da Matriz. O quarteto de cordas da Osesp sofreu com o batuque da capoeira que vinha de lá.

MARILIA NEUSTEIN

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.