Direto da fonte

Casas de Pão

Sonia Racy, O Estado de S.Paulo

12 de maio de 2010 | 00h00

Na teleconferência com o mercado, ontem pela manhã, para falar do resultado do Grupo Pão de Açúcar, Abílio Diniz pediu para não ser perguntado sobre Casas Bahia. Mas adiantou que as conversas entre as partes andam bem. Avisou que já estão mexendo nos contratos e que verão até mesmo o que é irrelevante.

"Dentro da nossa ideia de que "contratando" bem, nunca se briga", explica Diniz.

Casas de Pão 2

Aliás, o presidente do conselho do Pão de Açúcar viaja com a diretoria executiva do Grupo para o Colorado.

Jim Collins, o novo guru da área de negócios, autor de livros como Built to Last, dará um workshop só para a turma.

Insônia

É a poluição sonora vinda da rua que mais tira a paciência do paulistano. No ranking de reclamações 2009 do Psiu, carros, música e conversas de rua, por exemplo, representam 53% das queixas ao órgão.

Em 2º lugar vêm os bares, com 19%. Já as igrejas somam 11% das manifestações.

Insônia 2

Os bairros campeões de denúncias no Psiu são: Sé e Pinheiros. Com mais de 3 mil queixas cada um.

Crime e castigo

A Defensoria Pública entrou, anteontem, com oito ações indenizatórias contra o Estado. Pelos "Crimes de Maio", quando, há quatro anos, mais de 20 pessoas foram assassinadas em Santos.

Segundo o defensor Antônio Maffezoli, há indícios da participação de PMs. São exigidos 300 salários mínimos e a construção de um memorial.

Ecumênica

Se o Eyjafjallajökull permitir, Fanny Ardant desembarca no Brasil dia 24.

Vem para promover seu curta sobre diferenças religiosas, Chimères Absentes. Depois segue para o Rio, onde participa de um simpósio da ONU.

Outro lado

A CET não gostou de levar a culpa pelo absurdo engarrafamento no casamento de Patrícia Abdalla e Gustavo Foz, sábado, nos Jardins.

Diz que comunicou à organização do evento, com cinco dias de antecedência, que deveria fazer o pedido obrigatório por lei, informando o número de carros, pessoas e horário. A Estapar não teria feito isso, o que obrigou a CET a montar operação de emergência.

A empresa de estacionamento, segundo a CET, será multada em R$ 6,2 mil, O equivalente ao efetivo usado emergencialmente no dia.

Way out

A licença de 30 dias de Romeu Tuma Júnior está. espontaneamente, tirando, se assemelha à do ex-ministro Silas Rondeau : daquelas que não têm volta.

Semântica

Cecília Coimbra, presidente do Grupo Tortura Nunca Mais, espera o texto final do Plano Nacional de Direitos Humanos para denunciar o Brasil na OEA. "Do jeito que está, é só para inglês ver".

Cadê meu carro?

Ao pedir seu carro no estacionamento do salão de Marcos Proença, uma competente banqueira se esqueceu que havia ido ao cabeleireiro com seu motorista. E foi para casa guiando uma Hilux... alheia.

Levou um B.O. na cabeça.

A prova do quase

Lúcio Costa conseguiu construir Brasília, mas fracassou em outro sonho: entregar roteiro cinematográfico para Chaplin, chamado O Gênio. A troca de documentos pedindo encontro com o cineasta está na exposição em sua homenagem, em Brasília.

Sexo e depilação

As J. Sisters, brasileiras donas de um badalado salão de beleza em NY, lançam livro nos EUA. O Brazilian Sexy: Secrets to Living a Gorgeous and Confident Life.

Na frente

Michel Lacoste visita hoje a Fundação Gol de Letra, no Rio, com o ator Hayden Christensen. Encontra a quadra da instituição rebatizada com seu nome. E reformada com os 50 mil euros anuais que a Lacoste doa para a ONG.

Raymundo Magliano Filho, do Instituto Norberto Bobbio, pilota coquetel de abertura da instituição. Hoje, no Circolo Italiano.

O Bar Alberta3 tem inauguração hoje na Av. São Luís.

Gilmar Mendes confirmou presença na comemoração de nove anos do Instituto Pro Bono. Hoje, no escritório Mattos Filho, Veiga Filho, Quiroga e Marrey Jr. Advogados.

Hebe Camargo, Fafá de Belém e Alexandra Corvo têm jantar marcado com Antonio Soares Franco, da Confraria do Vinho Periquita. Na Adega Santiago, amanhã.

A primeira grande exposição do novo Museu Francês de Letras e Manuscritos já tem nome: Marcel Proust. Até 29 de Agosto, em Paris.

Quem procura o Twitter de Dilma Rousseff, encontra vinte variações de seu perfil. Entre eles o ... "Dilmão".

A nova jogada do craque

Em tempos de escalação para a Copa do Mundo e votação do Ficha Limpa, Romário não comenta a convocação da seleção, mas se diz a favor do projeto de lei que impede candidaturas de condenados pela Justiça. "Quem tem este tipo de problema não pode assumir responsabilidades", disse à coluna o ex-jogador. Mas o baixinho não passa por uma boa fase. Teve bens penhorados, pendências judiciais e até uma experiência desagradável: a de ver o sol nascer quadrado por falta de pagamento de pensão. Mesmo assim, ou por causa disso, Romário é pré-candidato a deputado federal pelo PSB, de Ciro Gomes.

Plataforma política?

Quero criar centros de tratamento infantil para portadores de Síndrome de Down. No Rio, 85% dos pais de crianças com necessidades especiais não têm condições de dar assistência adequada aos filhos. A minha menina é muito desenvolvida porque faz natação, fisioterapia, fonoaudiologia. Mas isso custa mais de R$ 7 mil por mês.

Futebol?

Pretendo arrumar uma forma legal de mudar a Lei Pelé. Hoje, os clubes formam jogadores e aos 15 anos eles vão embora. Deveriam ficar no Brasil pelo menos até os 19 e criar identidade com o clube. Outro problema são os ex-jogadores que estão desamparados e ociosos. Eles precisam de política voltada às suas necessidades.

Quem o convenceu a se candidatar para essas eleições?

Eu mesmo. Mas tive empurrão de várias pessoas, inclusive do Eurico Miranda. Ele me pediu, quando eu jogava pelo Vasco, que me filiasse ao PP. Depois, o Alexandre Cardoso do PSB me chamou. E também fui convidado pelo PC do B e pelo PT.

Você é socialista?

Sempre fui socialista. O socialismo prega igualdade de condição e já batalhei pelos meus companheiros. Cheguei a brigar com dirigentes para que meus amigos recebessem salário em dia.

O Brasil vai conseguir cumprir os prazos da Copa?

A situação preocupa. O anúncio de que a Copa seria aqui já fez três anos. Houve tempo suficiente para o início das obras. A Fifa diz que o Mundial pode mudar para Londres. Não podemos duvidar da Fifa.

Exemplo de político?

O Eduardo Campos. Mas o exemplo maior é o Lula. Um cara que veio do nada e está tendo a capacidade de governar e de mudar a história do Brasil.

Romário na política é diferente de Romário no futebol?

Não. As pessoas devem entender que Romário é Romário. A índole é a mesma.

Com quem você sobe e não sobe no palanque?

Eu subo com Lula e não subiria com José Roberto Arruda. Mas, infelizmente, já subi.

O que você tem de diferente de tudo que está aí?Personalidade forte. E tenho muita atitude.

O que o qualifica para ocupar um cargo público?

Sou autêntico e as pessoas podem acreditar no que eu disser. Segundo, sou predestinado. Foi assim no futebol e será assim na política. / PAULA BONELLI

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.