Direto da fonte

Desastre natural

Sonia Racy, O Estado de S.Paulo

22 de abril de 2010 | 00h00

Se tudo desse absolutamente certo, a hidrelétrica de Belo Monte daria aos seus donos um retorno de 7% com a tarifa de energia no preço-teto estipulado para o leilão de construção da usina, de R$ 83. Esse era o cálculo do consórcio derrotado, liderado pela Andrade Gutierrez, que estudou e tem o projeto feito em dez anos nas mãos.

Já o consórcio Norte Energia, que desconhece esse números, venceu dando uma tarifa que é 6,02% inferior...

Desastre 2

Portanto não será surpresa se, na hora da assinatura do contrato de Belo Monte, sobrarem no consórcio Norte Energia somente empresas e fundos estatais. É certo que muita água vá rolar até lá. Mas pelo que se apurou ontem, essa é a tendência caso o governo Lula não se disponha a garantir preço competitivo com o valor da obra.

Em outras palavras, oferecer garantia real de que as contas podem fechar.

Desastre 3

Já tem player empacotando sua participação no consórcio vencedor para vendê-la no mercado. A pergunta que não quer calar: quem vai comprar?

Desastre 4

Aliás, integrante do consórcio perdedor telefonou para membro do consórcio vencedor para dar parabéns.

Defesa do silêncio

Indignados com o barulho e a confusão causados por raves e baladas, moradores do Morumbi e Real Parque foram à luta contra os grupos que alugam casas vazias da região para festas.

Reunida com o subprefeito do Butantã, Regis de Oliveira, uma "confederação" de cinco "sociedades amigos", formada por moradores de 14 ruas e dois condomínios da região, obteve promessa de providências.

"Perplexia"

Para conseguir direito ao benefício de permanecer duas horas a mais fazendo a prova do vestibular da Fundação Getulio Vargas, os alunos disléxicos são obrigados a pagar R$ 2.115. É que a universidade só aceita laudo que comprove desatenção emitido em um único lugar de São Paulo: a Associação Brasileira de Dislexia.

Só fica isento da tarifa quem conseguir atestar...miséria.

Neymar, neyterra

Convidado pelo Lide, de João Doria, para o seminário de Comandatuba, Aloizio Mercadante dá sinais de que só pensa "naquilo".

Não, não é em sua candidatura ao governo de São Paulo. E sim na escalação de Ganso e Neymar para a Seleção Brasileira. O senador até organizou movimento em parceria com a prefeitura de Santos.

Reação

Heráclito Fortes, também convidado de Doria, foi rápido no gatilho. Já pediu a Eduardo Azeredo, da Comissão de Defesa do Senado, que convoque a Abin para explicar o caso do juiz Antonio Campelo, que se disse incomodado pela agência.

Me, first

O primeiro apoio a Alckmin assim que sua candidatura se formalizar será de... Sophia Alckmin. Mas a moça quer subir no palanque sem abandonar seu site de moda e tendência. O pai segue seus conselhos na hora de se vestir?

"Eu insisto para que ele use algo mais descontraído, como camisas polo e bermuda", diz ela. Pelo que se percebe, sem sucesso.

Antivampiro

O quinto livro mais vendido dos EUA é Abraham Lincoln, o Caçador de Vampiros, de Seth Grahame-Smith. Onde o presidente sai matando os bebedores de sangue.

Na frente

FHC garantiu lugar na plateia. Para assistir ao debate com Bolívar Lamounier, Celso Lafer, Luiz Carlos Bresser-Pereira e Roberto DaMatta. Eles escreveram artigos para o livro Democracia, Crise e Reforma - Estudos sobre a Era Fernando Henrique Cardoso. Hoje, na FAAP.

Sergio Degese, da Veuve Clicquot, comanda degustação da champanhe. Dia 27, no La Brasserie.

A Editora Tinta Negra emplaca gol de letra. Lança, durante a Copa, o livro Soccernomics. Que vira do avesso a indústria do futebol mundial.

Lygia Fagundes Telles tem encontro marcado com a turma da literatura. Na posse de Joaquim Maria Botelho, novo presidente da União Brasileira de Escritores. O evento é amanhã.

Time de peso na curadoria do AfroReggae. Para tocar o Centro Cultural Waly Salomão, que será inaugurado dia 5. Entre os que toparam o desafio estão Cacá Diegues, para cuidar de cinema, e a dupla Gerald Thomas e Guti Fraga, para a área de teatro.

Philip Rosenzweig, da Giorgio Armani, desembarca no dia 5 em terras brasileiras. Faz palestra no Renaissance.

Sergio Arno será habitué da ponte-aérea São Paulo-Fortaleza. É que vai inaugurar na capital do Ceará mais dois restaurantes de sua rede de franquias La Pasta Gialla.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.