Michel Euler/AP - Arquivo
Michel Euler/AP - Arquivo

Dior demite Galliano após comentários antissemitas

Estilista aparece elogiando Hitler em um café de Paris

Estadão.com.br, com agências internacionais

01 de março de 2011 | 12h38

A grife francesa Christian Dior anunciou nesta terça-feira, 1, que vai demitir John Galliano depois que o estilista foi detido por fazer comentários antissemitas em um café em Paris.

Veja também:

link Contratada da Dior, Natalie Portman diz estar enojada

O prestigiado designer britânico aparece em um vídeo divulgado pelo tablóide The Sun elogiando Adolf Hitler e proferindo ofensas a duas turistas italianas. O fato gerou discussão no local com intervenção da polícia, que acompanhou o estilista embriagado até sua casa.

A casa de moda, que suspendeu Galliano no dia seguinte às acusações, afirma que o processo de demissão dele já começou.

"Condeno veementemente o que foi dito por John Galliano, que contradiz todos os valores que sempre foram defendidos pela Christian Dior", disse o executivo da marca, Sidney Toledano, em um comunicado.

Galliano foi o primeiro britânico a assumir o controle criativo de uma casa de moda francesa. Em 1995 foi contratado pela Givenchy. Dois anos depois, levou sua excentricidade para a Dior, que lutava para sair de uma crise. 

Tudo o que sabemos sobre:
DiorJoh n Gallianomoda

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.