Diogo Vilela e Débora Bloch trazem Chekhov a SP

A montagem de Tio Vânia, um clássico do teatro escrito pelo russo Anton Chekhov, que estréia hoje no teatro da Faap, começou há um ano e meio quando os atores Diogo Vilela e Débora Bloch se encontraram por acaso a bordo de um mesmo vôo. Ela vinha de Londres e ele voltava de Nova York. Os dois, velhos amigos e colegas em programas de televisão, estavam com vontade de montar um texto clássico no palco. Depois de pensar em alguns autores, eles fecharam com Chekhov. A peça mostra os conflitos da família Sebriacov em sua propriedade, onde a chegada de um professor (papel de Rogério Fróes), dispensado de forma desonrosa da escola em que trabalhava, conturba a pacata rotina. Débora Bloch faz uma ex-aluna do professor, Helena, cuja beleza vai atrair o irmão dele, o tio Vânia do título, papel de Diogo Vilela, e o médico Astrov (Luciano Chirolli). Para Débora Bloch o que mais a atraiu na personagem Helena foi "seus mistérios". Seduziu tanto que a própria atriz resolveu produzir a peça - prática que ela vem exercendo há mais de dez anos. Débora tem preferido o teatro à televisão - há tempos não faz novelas, só participações especiais. O mesmo ocorre com Diogo Vilela, que apareceu em Os Normais. A direção da montagem é de Aderbal Freire Filho. Já os cenários ficaram por conta de Daniela Thomas, que procurou colocar o público mais perto da "casa" onde se desenrola a peça. Tio Vânia fica em cartaz até o dia 5 de outubro, dando oportunidade ao público de São Paulo de ver dois grandes atores brasileiros, e um texto clássico russo, ao vivo. Tio Vânia - Teatro Faap: Rua Alagoas, 903, telefone: 3662-7233. Sextas e sábados, às 21h. Domingo às 18h. Ingressos a R$ 40 (sexta); R$ 50 (sábado) e R$ 45 (domingo).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.