"Dicionário Houaiss" pode marcar uma nova era

Já se disse que Brasil e Portugal são dois países separados pela mesma língua. O que dizer então do português com influência asiática, falado no Timor Leste, ou em Macau? Ou os dialetos crioulos da zona rural de países africanos? O Dicionário Houaiss que será lançado pela Editora Objetiva será o primeiro a tentar unificar essas diferenças. Trata-se de um velho sonho do lexicógrafo Antônio Houaiss, que morreu em março de 1999, sem vê-lo tornar-se realidade. Depois da sua morte, o sobrinho Mauro Villar, que já trabalhava com ele, assumiu a coordenadoria do projeto.No Brasil, até agora, praticamente ficávamos restritos ao Aurélio e ao Michaelis e ao famoso Caldas Aulete, disputado a peso de ouro nos sebos, assim como o Morais Silva, pela grande quantidade de exemplos com frases de livros.O português firmou-se como língua em meados do século 14, à medida que a região oeste da Península Ibérica se libertava do domínio árabe. Sua raiz está no latim vulgar usado pelos soldados, à época em que os romanos dominavam a península, no século 3.º a.C. Depois de alguns séculos de dominação árabe, criou-se o pequeno condado de Portus Cale, que foi crescendo e aperfeiçoando o dialeto galego-português usado na região, já que todos queriam distância do árabe. O que era uma língua vulgar foi sendo lapidada, até ganhar status de nobre.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.