Diana estava 'loucamente apaixonada' por Dodi, diz madrasta

A madrasta da princesa Diana disse naquarta-feira em inquérito que acredita que, antes de Diana eDodi al Fayed morrerem, em 1997, num acidente automobilísticoem Paris, eles estavam "loucamente apaixonados" e planejavam secasar. A condessa Spencer, filha da autora de romances açucaradosBarbara Cartland, concluiu uma hora de depoimento à Alta Cortede Londres suplicando que o juiz, o júri e os advogados façamtodo o possível para esclarecer qualquer mistério que possacercar as mortes de Diana e Dodi. O pai de Dodi, Mohamed al Fayed, proprietário da loja deluxo Harrods, em Londres, alega que Diana e seu filho forammortos pelos serviços de segurança britânicos obedecendo aordens do príncipe Philip, marido da rainha Elizabeth eex-sogro de Diana. Fayed acredita que a morte de Diana teria sido ordenadaporque a família real não queria que a mãe do futuro reitivesse um filho de Dodi. Ele alega que o corpo de Diana foiembalsamado para acobertar as evidências de sua supostagravidez. "Diana estava loucamente apaixonada (por Dodi)", disse acondessa, usando chapéu preto com véu também preto. "Ela disse que não tinha estado tão feliz em muitos anos.Foi nesse momento que realmente achei altamente provável queela e Dodi ficassem noivos e depois se casassem." Indagada se Diana em algum momento mencionara estargrávida, a condessa respondeu: "Diana foi educada de maneirabastante antiquada. Pessoalmente, não creio que ela teriacogitado isso." Ela refutou as alegações sobre uma suposta hostilidadeentre Diana e o príncipe Philip. Diana e Dodi morreram em agosto de 1997 quando a limusineem que estavam, conduzida pelo chofer Henri Paul, chocou-se comum túnel viário em Paris. A lei britânica exige a realização de um inquérito paradeterminar as causas de mortes não naturais. Previsto para durar até seis meses, o inquérito foi abertoapós grandes investigações das polícias britânica e francesa. As duas concluíram que Diana e Dodi morreram porque HenriPaul estava embriagado e dirigiu com velocidade excessiva. Diana se reconciliou com sua madrasta em seus últimos anosde vida. As relações entre elas tinham esfriado depois de acondessa casar-se com o pai de Diana.

PAUL MAJENDIE, REUTERS

12 de dezembro de 2007 | 18h36

Tudo o que sabemos sobre:
GENTEDIANAAPAIXONADA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.