'Dez Elefantes', de Eva Randolph, estréia em Locarno

Produção é a única brasileira concorrendo no festival na seção curtas-metragens dos Leopardos de Amanhã

Rui Martins, especial para o Estado,

12 de agosto de 2008 | 13h26

Ela é a única brasileira concorrendo no Festival de Locarno, na seção curtas-metragens dos Leopardos de Amanhã. O título do filme parece pesado, Dez Elefantes, mas é extremamente singelo e em 15 minutos mostra um jogo de esconde entre duas crianças.   Veja também: Com muitos aplausos, 'Filmefobia' estréia em Locarno   "Meu roteiro era previsto para ser filmado em vídeo como exercício no meu curso de cinema na UFF, no Rio de Janeiro, mas acabou sendo selecionado no curso de roteiro da Rio Filmes e assim tive condições de filmar em 35mm. O que era previsto para se fazer em dois meses, acabou levando sete, tudo muito maior do que eu pensava", conta Eva, carioca de 25 anos, mãe paulista e pai alemão.   "Tive uma ajuda de 50 mil reais, mas isso é muito pouco, acabei tendo de colocar mais uns 10 mil meus, pois quase vai tudo na cópia que tinha de ser em 35mm. Fiquei muito feliz com a escolha, mas acho necessário ser revisto o total que é entregue aos escolhidos", diz ela.   O curta foi feito no município de Miguel Pereira. Eva trabalhou com Ana Azevedo e agora com Eric Rocha, com filme em Gramado. O filme Dez Elefantes vai estrear no Brasil no Festival de curtas de São Paulo, do 25 ao 29 deste mês.   Quando foram feitas as filmagens, a menina tinha 8 anos e o menino 11 anos e foram selecionados numa escola de atores crianças em Laranjeiras, CAL. As filmagens foram feitas em uma semana mas os ensaios levaram três meses. A idéia veio de um conto da Lígia Fagundes Teles e Eva acentua ter havido um trabalho coletivo até a finalização.

Tudo o que sabemos sobre:
Eva RandolphFestival de Locarno

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.