Design do eco à cozinha

A exposição 500 Anos de Design promete trazer peculiaridades resultado influências das culturas indígena, européia, africana, japonesas, em fim, do mundo todo. A mostra poderá ganhar por originalidade, mas ficará na média no quesito organização. Até o começo da tarde de segunda-feira, nem 20% das peças estavam acomodadas em seus devidos lugares, impossibilitando uma visita prévia realizada na maioria dos eventos. O curador da parte de eco-design, Marcelo Susuki, "jurou"que tudo estará pronto até as 19 horas de terça-feira. Susuki teve a boa vontade de mostrar os objetos de destaque e um pequeno panorama de como vai funcionar a mostra, que está dividida em cinco módulo. Cozinha Tem História, sob curadoria de Eduardo Russo, traz um forte contraste do moderno com o antigo. Reúne materiais curiosos e familiares, como a galinha de arame e vários estilos de colher de pau. A tradicional moringa de barro, terá versões do tradicional ao fashion. Outro ponto será a evolução das tecnologias de cocção e dos rituais de degustação, os avanços das técnicas de embalagens.Na Indumentária, Liana Bloisi traz o glamour e a diversidade dos inúmeros materiais sempre experimentados pelos estilistas. Já em Arte e Ofícios, Carmem Pousada engloba itens como joalheria, couro, tapeçaria, cerâmica, vidro entre outros. A discussão do que é designer e o que é artesanal começa justamente nesse módulo e se intensifica no Ecodesign. Coordenado pelo anfitrião, Marcelo Suzuki, o módulo ecológico terá a responsabilidade de mostrar tendências. Ele chama a atenção do público para o que a indústria e os designers vêm fazendo no sentido da preservação ambiental, sem perder a originalidade nas produções no novo milênio. Para discutir essa intenção, Suzuki trouxe também materiais em PVC, um material não ecológico por deixar resíduos. "Vamos colocar em pauta e mostrar o processo de reciclagem e o processo de fabricação". A intenção será mostrar como ignorá-lo se o produto é tão útil e praticamente indispensável.Panorama do Design Nacional, como o próprio nome diz, será o modulo histórico. Traz a discussão de como o designer acompanha e traduz o comportamento de uma época. Os inúmeros movimentos, escolas e estilos estão caracterizados. A exposição conta também com salas temáticas. Estarão sendo exibidos vídeos educativos na antiga casa de Chás do Parque da Luz.

Agencia Estado,

11 de dezembro de 2000 | 21h21

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.