Desfile-performance de Layana Thomaz mostra bastidores ao público

Preparação dos penteados e até das roupas podiam ser vistas através de um telão

Roberta Pennafort,

12 de janeiro de 2008 | 00h15

Layana Thomaz escolheu o hi-tech Oi Futuro, onde fica o Museu das Telecomunicações, para sua apresentação no Fashion Rio. Não foi um desfile, mas sim uma performance o que a jovem estilista carioca mostrou. A preparação dos penteados das modelos e até das roupas aconteceram diante dos espectadores, que assistiam a tudo através de um telão de voil. Sobre ele, eram projetadas imagens do que estava acontecendo atrás dele. Ou seja: o que a platéia não enxergava por conta da presença da estrutura podia ser conferido nas cenas captadas em tempo real.   Veja também:  Com Zulu, Sandpiper apresenta sua moda despretensiosa     No palco, músicos tocavam ao vivo uma batida eletrônica. Até uma máquina de costura foi colocada e usada na hora. Somente após a (longa) projeção a coleção de outono-inverno de Layana foi revelada: peças ultracoloridas, muito couro, material plástico e cintos-laçarotes. Logo no tema do "happening", Layana já desafiava, com a frase (em inglês): "O que quer que você pense que eu sou é o que eu não sou". Inovador? Revolucionário? Pretensioso? Enfadonho? Seja como for, Layana deu o que falar.

Tudo o que sabemos sobre:
Fashion RioLayana Thomaz

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.