'Desenrola' foi blog e série de TV antes de virar filme

"Desenrola", que estreia amanhã, não é um filme brasileiro qualquer. Desde sua concepção até a estreia, o longa teve ampla participação do público. Além disso, antes de virar filme, ele foi um blog, uma web-série e série de televisão (transmitida pela TV Cultura) e documentário. Boa parte dos atores principais são estreantes no cinema, mas o elenco conta ainda com famosos como Marcelo Novaes, Pedro Bial, Kayky Brito, Claudia Ohana, Letícia Spiller e Juliana Paes.

AE, Agência Estado

13 de janeiro de 2011 | 11h02

Parte do enredo, trilha sonora, assistência de direção e figuração do longa-metragem foram definidos por meio do site www.desenrolaofilme.com.br. Produzido por Clélia Bessa e dirigido por Rosane Svartman (de "Como Ser Solteiro", de 1998, e "Mais uma Vez Amor", de 2005), o filme teve como proposta explorar as novas mídias digitais e montar uma história com a participação daqueles que seria os futuros espectadores. O público pode opinar nos diálogos e enviar vídeos.

Agora, o resultado é um longa que fala a língua dos adolescentes, com gírias atualizadas, boas sacadas e humor na medida certa. "Eles são muito espontâneos, têm vigor e energia. É contagiante. Mas tive de lidar com eles como uma professora. Tinha de pedir para fazerem silêncio, entre outras coisas", diz a diretora Rosane Svartman, de 41 anos.

"Desenrola" conta a história de Priscila (Olivia Torres), uma adolescente de 16 anos que quer aproveitar a viagem da mãe para transar pela primeira vez. Nesse meio tempo, no colégio, o professor (interpretado por Pedro Bial) propõe um trabalho de estatística aos alunos. Priscila decide descobrir quantos virgens existem no colégio. Alguns desses depoimentos são reais e foram incorporados ao roteiro. No longa há espaço também para explorar o homossexualismo e a gravidez na adolescência.

A leveza do longa é garantida com boas cenas do Rio de Janeiro e também da cidade de Búzios, no litoral fluminense, para onde a turma vai para passar um feriado prolongado. As filmagens duraram cinco semanas e o longa custou R$ 3 milhões. A canção do filme foi composta pelo grupo feminino Agnela, em parceria com frequentadores do site. Além disso, cantoras como Érika Machado, Mallu Magalhães,

Playmobille e Maria Gadú, também estão na trilha. As informações são do Jornal da Tarde.

Tudo o que sabemos sobre:
cinemaDesenrolabloginternet

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.