Descobertos segredos da técnica de pintura de Da Vinci

Artista renascentista Leonardo da Vinci evitava a palheta e misturava as cores diretamente na tela

Silvia Ognibene, da Reuters,

31 de agosto de 2007 | 19h05

O artista renascentista Leonardo da Vinci evitava a palheta e misturava as cores diretamente na tela, disseram pesquisadores italianos após reconstruírem seu trabalho passo a passo, "como se o estivessem observando enquanto pintava".Usando um equipamento científico para analisar a obra Madonna dei Fusi, os pesquisadores da Universidade de Florença disseram que foi possível vislumbrar praticamente cada pincelada feita pelo artista na famosa tela a óleo.Eles concluíram que, ao contrário de seus contemporâneos, Da Vinci não misturava as tintas na palheta, pois preferia aplicá-las em camadas diretamente sobre a tela, criando uma rica textura de cores sobrepostas."Que Leonardo usava a técnica da 'velatura' já se sabia, ele próprio escreveu isso num tratado, mas pela primeira vez conseguimos reconstruir sua obra passo a passo, como se o observássemos enquanto pintava", disse a pesquisadora Cecilia Frosinini. "Conseguimos entender que tipo de materiais de pintura ele usou, quantas camadas de cores aplicou e em que espessura e sequência."A pintura analisada pertence a uma coleção de Nova York, a chamada Ex-Reford, uma das várias versões da mesma imagem atribuídas ao artista, segundo os pesquisadores. Os especialistas usaram um equipamento chamado "acelerador nuclear", que lança partículas em alta velocidade, para decifrar a técnica de Da Vinci.Autor de obras-primas como a Mona Lisa e a A Última Ceia, Da Vinci é considerado um dos maiores pintores da história - e é também um dos mais imitados e copiados de todos os tempos.

Tudo o que sabemos sobre:
Leonardo Da Vinci

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.