Deputado quer proibir publicidade infantil

Aquela famosa frase: "Mãe, comprapra mim", que toda criança fala ao ver alguma propaganda na TV,pode estar com seus dias contados. Um projeto de lei do deputadoLuiz Carlos Hauly (PSDB-MG) pretende proibir a publicidade deprodutos de uso exclusivamente infantil em rádio e televisão. Oprojeto, apresentado pelo deputado no fim do ano passado, deveser analisado pela Câmara em breve. A argumentação de Luiz Carlos Hauly é que comerciais deprodutos infantis praticamente "obrigam" os pais a comprar oque é anunciado e influenciam muito as atitudes das crianças,quase sempre, incentivando o consumismo. O deputado também cita a regulamentação de publicidadepara crianças que há em outros países. Na Suécia, os anúnciosdirigidos a menores de 12 anos foram banidos da televisão. Opaís, que vive promovendo assembléias sobre a proteção demenores perante conteúdos divulgados pela mídia, quer levar oveto para outros países da Europa. Em Portugal, por exemplo, crianças não podemprotagonizar comerciais de produtos dirigidos para adultos.Menores, só podem participar de propagandas de artigos voltadospara sua faixa etária. Na Bélgica, a publicidade dirigida a menores é vetadacinco minutos antes, durante e após a exibição de programasinfantis. Na Noruega, o governo estuda a proibição de propagandaem material escolar, como livros e cadernos. Entidades que representam o mercado publicitário, como aAssociação Brasileira das Agências de Propaganda (Abap),prometem ir até Brasília impedir que a Câmara aprove qualquertipo de veto à publicidade para menores semelhante no Brasil.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.