Depois do cinema, lanches e pizza em pedaços

Se a intenção é comer sem cerimônia, O Pedaço da Pizza (R. Augusta, 1463, 3891-2431) é uma boa opção. Trata-se de uma versão mais moderninha da clássica padoca que vende pizza no balcão. De dia, quem trabalha na região sempre faz refeições lá. À noite, por ser ao lado do Espaço Unibanco, a casa lota, principalmente pela moçada que freqüenta os cinemas. O lugar tem visual e música legais e pizzas dos sabores tradicionais, e também diferentes, como shimeji com couve (R$ 4,30 o pedaço).A Bella Paulista (R. Haddock Lobo, 354, 3214-3347) é um misto de restaurante, lanchonete, loja de conveniência e sorveteria. Ao todo, são 4 mil itens à disposição dos clientes, 24 horas por dia. Quase tudo é servido ali: café da manhã, almoço, sopas, frios e pães à noite, pizza, chope, grande linha de panificação, doces, sorvetes artesanais, frios, vinhos. Há até uma charutaria. Só para se ter uma idéia da variedade, são oferecidos exatos 507 tipos de pães e doces. O público do local também é variado. Durante o dia, moradores e pessoas que trabalham na região. À noite, cinéfilos, indo ou vindo de alguma sessão. Lá pelas tantas da madrugada, baladeiros, modernos e notívagos em geral invadem a Bella para um sanduíche ou uma sopa. Principalmente no inverno. Em uma única rua, a maior variedade gastronômica da região - Na região da Avenida Paulista, a Rua Fernando de Albuquerque é a que reúne a maior variedade de boas opções gastronômicas. Almoçar pizza, nesta rua, é mais comum do que parece. A Pizzaria Nova Zi (R. Fernando de Albuquerque, 270, 3256-4703) serve redondas sem parar, das 11h30 às 15h. Depois, retoma o expediente e vai das 18h à meia-noite, mais o delivery. No cardápio, a clientela se farta em 40 opções de pizzas, com preços que variam de R$ 20 a R$ 27. Detalhe: todas são em tamanho gigante. ?A gente serve cortada em 8 pedaços, mas na verdade ela pode ser cortada em 10 pedaços?, explica Manuel Teixeira, proprietário da casa, 40 anos no ramo. Manuel era um dos sócios da Zi Tereza, que fez fama na Rua da Consolação. Como a pizza é enorme, sacia a fome, fácil, de 3 a 4 pessoas, dependendo do tamanho. E ainda dá para dividi-la em três sabores. O custo da refeição, se for assim, em turma, fica em R$ 10 por pessoa. Vale a pena.Referência da cidade, o nome do Mestiço (R. Fernando de Albuquerque, 277, 3256-3165) é a senha para decifrar a inspiração do restaurante mais badalado do perímetro. Há pratos asiáticos, com forte acento tailandês, mas isso é apenas parte do cardápio repleto de hits famosos, como a moqueca de camarão ou as cestinhas de frango. O serviço é à la carte, mas no almoço sempre há a opção de um prato do dia. Para comer no Mestiço gasta-se, em média, R$ 40, sem bebidas. O La Tartine (R. Fernando de Albuquerque, 267) é um autêntico representante dos bistrôs franceses em São Paulo. O ambiente é pequeno, aconchegante, e fica lotado, com fila na porta. Os pratos são à la carte, e a casa está sempre lotada de amantes da comida francesa rápida, com destaque para os muitos quiches e saladas.Os 40 lugares do Galeraki (R. Fernando de Albuquerque, 255, 3258-6146) lotam rapidamente na happy hour e a galera que dá nome à casa se esbalda com as receitas que mesclam temperos do sul da Itália, da Grécia e todo o Mediterrâneo. O cardápio é enxuto e para uma refeição completa, com entrada, prato principal e sobremesa, gasta-se em média R$ 40, fora o couvert (R$ 5,50). A casa só abre à noite, das 19h30 à meia-noite, de segunda a quinta, e até a 1h da manhã na sexta e no sábado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.