Denúncia turva o ambiente

Uma denúncia no site Spresso SP, esta semana, agitou a Virada 2012. Um denunciante anônimo, identificado com V de Virada (referência ao personagem V de Vingança), informou ao site que uma das empresas terceirizadas para a produção do evento, a Entre Produções, teria montado empresas fantasmas para "disfarçar a presença deles na Virada Cultural e o fato de ela sair como vencedora na maioria dos processos relativos ao evento".

O Estado de S.Paulo

04 de maio de 2012 | 03h07

O esquema denunciado funcionaria da seguinte forma: empresas fantasmas serviriam como "laranjas" em concorrências e licitações, mas todas funcionariam no mesmo endereço dos donos da Entre. Empresas como WilWill Produções Artísticas (que já recebeu mais de R$ 1 milhão da Prefeitura) e Brunilu Cine Video seriam apenas de fachada.

Duas outras empresas que supostamente fariam parte do esquema, a Esfera Pesquisas e Eventos e a WK Produções Cinematográficas, segundo o Spresso SP, funcionam no mesmo endereço - inexistente, já que não haveria o número 30 na rua indicada pelo registro. O organizador da Virada, José Mauro Gnaspini, é acusado de autorizar pessoalmente as contratações no Diário Oficial da Cidade de São Paulo.

A Entre Produções negou a montagem de qualquer esquema e disse ao site que nem sequer participa da edição 2012, já que perdeu todas as licitações. Já a Secretaria de Estado da Cultura diz que a denúncia não tem fundamento, e que todos os processos relativos à montagem da Virada Cultural estão à disposição, foram tornados públicos e podem ser acessados no Diário Oficial. A secretaria disse que não foi sequer procurada pelo site para responder às acusações, e que considera as denúncias "vazias".

A Virada Cultural 2012 custou R$ 8 milhões, mesmo valor do ano passado. A Prefeitura destinou à SP Turis R$ 3,24 milhões para a realização do megaevento. Isso compreende o fornecimento de infraestrutura, constituída por equipamentos e produtos, pessoal técnico e operacional, contratação artística e eventual locação de áreas. / J.M.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.