Deborah Colker estréia espetáculo na Alemanha

Uma antiga central elétrica foi o cenário escolhido pela coreógrafa brasileira Deborah Colker para a estréia mundial de Nó, sua última montagem, que despertou nesta quinta-feira à noite um grande entusiasmo no público da cidade de Wolfsburg, Alemanha.O espetáculo Nó, que pode ser visto em Wolfsburg até o próximo domingo, enfatiza o sexo e o desejo extremo numa primeira parte, em que os 16 dançarinos se desenvolvem num mar de cordas que pendem do teto, primeiro ao ritmo de música eletrônica e depois ao compasso de um concerto para piano de Maurice Ravel.A segunda parte transmite uma sensação de sensualidade muito mais suave, como se os dançarinos, após terem se desprendido das ataduras que antes os mantinham sob uma pressão de alta voltagem, se entregassem agora a uma dança de libertação mais elegante, ao redor de um cubo de paredes transparentes.O grupo não fez nenhuma improvisação e executou os movimentos concebidos por Deborah com precisão milimétrica. A própria coreógrafa foi muito aplaudida por sua atuação solista em fragmentos da segunda parte, que terminou com os aplausos entusiasmados do público, que ficou de pé."Amo este cenário, me inspirou muito", afirmou Deborah após a atuação, referindo-se à central elétrica, um gigantesco espaço de antigas turbinas, transformado em cenário graças a uma remodelação que lembra algum clube tecno de Berlim da década de 90. A coreógrafa, de 43 anos, explicou à EFE que concebeu a montagem pensando na idéia de que "todos os dias estamos presos por nós que depois desfazemos".É o primeiro espetáculo que Deborah estréia fora do Brasil. A coreógrafa afirmou que o espetáculo é "realmente o mais difícil" das suas seis montagens, apesar de ser "mais pop" que as demais em sua estética, principalmente pelo vermelho gritante da decoração da segunda parte.Trata-se, também, da primeira co-produção do festival Movimentos com uma companhia de dança estrangeira, um projeto a que Deborah dedicou ultimamente todas as suas energias, ao ponto de deixar de lado todas as suas demais idéias.Entre elas, destaca-se um espetáculo de dança intitulado Maracanã, que a coreógrafa criará para o Mundial de Futebol da Alemanha 2006 e sobre o qual não quis adiantar detalhes, mas afirmou que na próxima segunda-feira iniciará uma seleção de candidatos em Colônia (oeste da Alemanha).Wolfsburg recebeu a estréia de Nó na terceira edição do festival internacional de dança Movimentos, que neste ano traz à cidade sede da Volkswagen companhias como a Montalvo-Hervieu, a de Tero Saarinen e a de Dave St-Pierre. O festival de dança fica em cartaz até o próximo dia 29 e quase todas as 21 mil entradas disponíveis para todos os espetáculos já foram vendidas, segundo a organização.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.