Debora Gurgel lança disco em show em São Paulo

Imagine alguém que tem argumentos para tudo e que, sem deixar de ser elegante, convence vozes diferentes a entrarem em um acordo. A pianista e compositora Debora Gurgel é uma dessas personalidades que consegue deixar sua marca mesmo quando um argumento, que no seu caso se traduz em acordes, parece destoante do que normalmente se pode esperar num diálogo.

ROGER MARZOCHI, Agência Estado

26 de março de 2012 | 08h17

Debruçada sobre o piano, a musicista vai ao extremo da sua criatividade em "Debora Gurgel", seu novo disco que será lançado em show gratuito no Sesc Consolação, nesta segunda-feira. No trabalho, ela intercala choro, samba, bossa e jazz em músicas instrumentais, com vocalises e músicas com letra em parceria com a filha, a cantora Dani Gurgel, como no caso de "Até onde a alma leva" e na expressiva letra de "Despedida", que conta com o acordeon de Guilherme Ribeiro.

O disco abre com a instrumental "Pros Mestres", um choro em homenagem a Pixinguinha, César Camargo Mariano, Amilton Godoy e Chick Corea, com Sidiel Vieira no contrabaixo e Thiago Big Rabello na bateria. Também faz homenagem a Claude Debussy ao usar citação de "Clair de Lune" no tema de "Clara da Lua", com um belíssimo solo de sax soprano de Vitor Alcântara. O disco ainda conta com a participação do saxofonista Carlos Alberto Alcantara e músicos da banda Septeto S.A., da qual Débora faz parte há quatro anos, com apresentações todas as segundas-feiras no bar São Cristóvão.

"É a coisa mais importante que fiz até agora", conta Débora, que já fez um trabalho autoral com o trio Triálogo. A diferença é que agora toda a concepção do disco é autoral. "No Triálogo, os arranjos eram coletivos. Nesse eu fiz todas as composições e arranjos e tem muita coisa da minha alma, é muito representativo do que eu sou."

Foi a primeira vez que a pianista gravou um disco com músicas com letra, que foram escritas pela filha Dani. Em "Despedida", Debora conta que planejava inicialmente um arranjo para um quinteto de flautas. Mas no ano passado, no show para comemorar um ano de atividade do Música de Graça, site de divulgação de novos talentos capitaneado por Dani Gurgel, Debora recebeu a participação inesperada do músico Guilherme Ribeiro, no Auditório Ibirapuera, que deu um toque especial à "Despedida".

"Na hora que ele tocou junto com a gente, eu disse adeus ao quinteto de flautas. Naquele show nasceu o arranjo para acordeon, que contou muito com a criatividade do Guilherme", explica. O disco termina com "Domingo", uma música que tenta traduzir a calma do fim de semana, executada somente ao piano. "''Domingo'' é uma valsa, um piano solo. Pensei em fazer com cordas, mas tem que ser singelo como o domingo da gente." É possível ouvir o disco e ter mais informações sobre a artista por meio do site: www.deboragurgel.com.br.

Debora Gurgel

Sesc Consolação

Rua Dr. Vila Nova, 245 - Vila Buarque

Dia 26/03, Segunda, às 19h

Grátis

Tudo o que sabemos sobre:
músicaDebora Gurgel

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.