De escandaloso a obrigatório: biquíni faz 60 anos

O biquíni moderno, um dos maiores ícones da cultura do século 20, completa 60 anos nesta quarta-feira. De peça indecente o biquíni passou a ser item obrigatório do vestuário das mulheres ocidentais, e sua história está relacionada aos grandes acontecimentos do século.O biquíni foi lançado na França em 1946, simultaneamente pelos estilistas franceses Jacques Heim e Louis Réard. De olho no grande acontecimento da época, a bomba atômica, Heim chamou sua invenção de átomo e, Réard, de bikini, fazendo referência ao atol de Bikini, onde os testes da bomba atômica estavam sendo realizados. Mas a peça de Réard acabou levando a melhor.Réard escandalizou a França quando promoveu o primeiro desfile de biquínis numa pista pública de Paris, no bairro de Auteil. As manequins, horrorizadas com o tamanho das duas peças, se recusaram a desfilar, e a solução encontrada pelo estilista foi contratar dançarinas de um famoso cabaré de Paris para executar a tarefa. Feito. Em 5 de julho de 1946, há 60 anos, mulheres desfilavam os primeiros modelos da peça que se tornou um dos importantes símbolos da liberdade feminina.Os primeiros biquínis, feitos de crochê, eram adornados, com estampas de animais e flores artificiais. Na década de 50, a moda pegou na França, principalmente quando a atriz francesa Brigitte Bardot apareceu usando um biquíni no filme E Deus Criou a Mulher, em 1957, de seu então marido Roger Vadim. Além de desfilar o modelo nas telonas, Brigitte foi fotografada, algumas vezes, usando um xadrez Vichy, com babados, fora do set, contribuindo para a popularidade da ousada criação de Réard.Ursula Andress A partir daí, o biquíni ganhou popularidade na Europa, mas ainda encontrava resistência nos Estados Unidos. Isso até a revolução sexual da década de 60. Em 1962, chegou às telonas uma das cenas definitivas do cinema: a famosa saída da água de Ursula Andress, vestindo a famosa peça de Réard, no longa 007 Contra o Satânico Dr. No, de 1962. A cena marcou tanto que as inesquecíveis peças brancas foram leiloadas em 2001 por nada menos que US$ 61,5 mil (R$ 134,7 mil).No Brasil, a moda pegou rápido, graças ao clima tropical com extensa faixa litorânea e belas praias com ótimas condições para banho. O boom aconteceu nos anos 70 e o Rio de Janeiro foi o grande cenário. Na praia de Ipanema, as mulheres foram as primeiras a adotar o modelo da tanga, hoje muito popular.Apesar de só ter sido alçado ao estrelato no século 20, os primeiros registros de formas primitivas de biquínis datam de 300 a.C. Os mosaicos de 1,7 mil anos da Villa Romana de Casale, na Sicília, mostram jovens fazendo exercício em trajes semelhantes ao biquíni moderno.Para a escritora e ex-modelo norte-americana Kelly Killoren, o biquíni deve ao escândalo sua popularidade. "O biquíni é associado ao escândalo, e por isso é que sobreviveu", argumenta Killoren.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.