"Davi" de Michelangelo vai ser lavado com água

Depois de muita polêmica, está decidido: o Davi, escultura ícone do Renascimento feita por Michelangelo, vai ser lavado com água. A intensa discussão sobre a melhor forma de limpar a escultura durou 11 anos. No ano que vem, a Itália vai comemorar 500 anos da escultura.Parte dos restauradores e museólogos sempre defendeu a lavagem da escultura com água. Outros nunca aceitaram a hipótese, afirmando que molhar o Davi poderia mudar a superfície da obra, tornando-a uniforme e aniquilando as nuances de cor do mármore. Além disso, as marcas do tempo, que alguns consideram como parte da escultura, podem sumir. A limpeza deve começar em setembro. Para o diretor da Galleria dell?Accademia de Florença, onde o Davi é guardado, "não se trata de uma intervenção para tornar a obra mais bonita". O especialista italiano em restauração Enzo Settesoldi discorda da lavagem com água. "Se for somente uma remoção da sujeira, não há problema, mas quando se começa a usar compressas de substâncias, o material básico pode mudar", disse. Entre os profissionais que ficaram contra a limpeza com água está a ex-restauradora da Galleria, Agnese Parronchi. Ela foi encarregada de liderar o projeto de limpeza do Davi, mas se demitiu porque a diretoria da instituição optou por molhar o monumento. Ainda que as reações contra a lavagem com água sejam extremadas, elas perdem força quando se lembra que em 1843 um italiano, Aristodemo Costoli, foi limpar o mesmo Davi. Em vez de água ou panos secos, usou uma solução de ácido clorídrico.As informações são do site da BBC. Para ler o noticiário da BBC, que é parceira do estadao.com.br, clique aqui.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.