Dança é inspirada em Clarice Lispector e Hilda Hilst

O diálogo entre dança, teatro eliteratura inspira o espetáculo Jardim de Rosas Mudas comCarolina Callegaro e Clara Gouvêa, da Wasu. Cia., em cartaz naCasa das Rosas até o dia 26 maio. Sob a direção de Gisele Petti, as intérpretes sebasearam nas obras das escritoras Clarice Lispector e HildaHilst, com atenção especial dedicada às personagens femininas,para dar início ao trabalho de pesquisa, que levou um ano. Ostextos literários foram utilizados de diferentes maneiras para aelaboração dos movimentos coreográficos. "O processo criativo começou com a leitura de trechos delivros, interpretação e levantamento de imagens para a dança ouescolhíamos uma palavra de um poema e a transformávamos em ação" diz Gisele. Os improvisos são marcados pela instabilidade doscorpos e do corpo em risco, uma forma de representar osconflitos vividos pelas personagens dos livros. Espaço é personagem De acordo com a diretora, com formação em artes cênicas,o teatro surge em Jardim de Rosas Mudas na consolidação de umenredo. "Este não é um espetáculo narrativo e não tem diálogosdramatúrgicos, em suma, não adaptamos a prosa, mas procuramosdar significados aos movimentos com base nas personagens."Durante a apresentação, as intérpretes recitam trechos das obras Corredores e escadaria da Casa das Rosas transformam-se,praticamente, em um outro personagem. "Nas obras de Clarice eHilda percebemos que as mulheres estão muito ligadas ao espaçoque habitam até acontecer algo que provoque o questionamento euma mudança radical, daí é fundamental essa interação com acasa", explica. O espetáculo é divido em três momentos distintos: oprólogo apresenta os conflitos das personagens, quando elasainda estão em contato com o social e o público se posicionapróximo das bailarinas. O segundo momento é marcado pelailuminação, quando algo muda a rotina e a intimidade dessasmulheres se revela. Por fim, a desorganização dos sentimentos,também representada pela desordem do espaço. Jardim de Rosas Mudas. Casa das Rosas (20 pessoas). AvenidaPaulista, 37, 11-3288-9447. 6.ª e sáb., 0 horas. Até 26/5

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.