Dan Stulbach e o gênio de Stevens

101 Dalmatas - O Filme

LUIZ CARLOS MERTEN, O Estado de S.Paulo

06 de agosto de 2012 | 03h06

15H50 NA GLOBO

(101 Dalmatians). EUA, 1996.

Direção de Stephen Herek, com Glenn Close, Jeff Daniels, Joely Richardson, Joan Plowright, Hugh Laurie,

Mark Williams.

A versão live action da história de Cruela Cruel, que coleciona filhotes de dálmatas para fazer casaco com a pele dos cãezinhos, perde em quase tudo para a animação da Disney, que é ótima. Perde até para a vilã do desenho, mas Glenn Close é tão boa no papel que ela, sozinha, merece que se assista ao filme. Quer dizer, ela é 'boa' de tão má que consegue ser em cena. Se você leu os nomes do elenco reparou num certo Hugh Laurie. Sim, é o dr. House, antes de estourar na TV. Reprise, colorido, 103 min.

Camille, Um Amor

do Outro Mundo

22 H NA REDE BRASIL

(Camille). EUA, 2007. Direção de Gregory Mackenzie, com James Franco, Sienna Miller, David Carradine.

Casal parte para a lua de mel em Niagara Falls, há um acidente, a noiva morre, mas ela não sabe e continua vivendo com o marido a quem ama. O diretor Mackenzie poderia ter feito um filme de

zumbis aterrador, mas ele seguiu uma via meio Tim Burton e fez o seu A Noiva Cadáver em live

action. Sienna Miller é docinha como Camille, mas, claro,

vai chegar o momento da

revelação para ela - e para

James Franco, o marido. Reprise, colorido, 94 min.

2012

22H20 NA GLOBO

(2012). EUA, 2009. Direção de Roland Emmerich, com John Cusack, Amanda Peet, Chiwetel Ejiofor, Oliver Platt, Thandie Newton, Danny Glover, Chin Han, Woody Harrelson.

Sempre atraído por um blockbuster - e um disaster movie -, o produtor e diretor Emmerich pega aqui carona nas profecias maias que preveem o fim do mundo em dezembro de 2012 e mostra os preparativos para a grande destruição. Cientistas monitoram o evento, mas os capitalistas constroem umas grande arca para que animais e eles, os ricos, possam sobreviver. John Cusack luta para salvar a família, Ejiofor Chiwetel faz profissão de fé humanista. Tudo muito bonito, mas Emmerich se interessa mais pelos efeitos. Acredite - se fechar os olhos para a credibilidade (e não se importar com os clichês), você poderá até se divertir com essa nova versão do Dilúvio (e da Arca de Noé). Reprise,

colorido, 158 min.

Compay Segundo -

Uma Lenda Cubana

0 H NA CULTURA

(Compay Segundo - A Cuban Legend). França, 1998. Direção de

Claude Santiago.

Quem gostou de Buena Vista Social Club - e o documentário de Wim Wenders virou cult - não pode perder essa outra abordagem da música cubana, por meio de outra de suas lendas. O guitarrista virou o garoto propaganda do som da parte oriental da ilha. O filme recria seu ritmo, a cubanía, e mostra que Compay foi um sedutor que, como um personagem de François Truffaut, "amava as mulheres" (e elas retribuíam). Reprise, colorido, 60 min.

Tempos de Paz

3H10 NA GLOBO

Brasil. 2009. Direção de Daniel Filho, com Tony Ramos, Dan Stulbach, Daniel Filho, Ewa Stulbach, Louise Cardoso, Ailton Graca.

Baseado na peça Novas Diretrizes em Tempos de Paz, de Bosco Brasil, o longa de Daniel Filho trata de judeu europeu que emigra para o Brasil, durante a 2.ª Guerra Mundial. Ele tromba com um agente da polícia secreta de Getúlio Vargas, que não aceita que ele seja um camponês. Dan Stulbach é um artista e o desafio do texto - e do filme - é que ele consiga arrancar lágrimas do durão Tony Ramos. Os dois atores são poderosos, mas Dan tem aqui o papel de sua vida.

Ma-ra-vi-lho-so. Reprise,

colorido, 100 min.

TV Paga

Assim Caminha a Humanidade

14 H NO TCM

(Giant). EUA, 1956. Diureção de George Stevens, com Elizabeth Taylor, Rocvk Hudson, James Dean, Jane Withers, Chill Wills, Mercedes McCambridge, Carroll Baker, Dennis Hopper, Sal Mineo, Rod Taylor.

George Stevens ganhou aqui seu segundo Oscar de direção, mas, como no caso do primeiro - por Um Lugar ao Sol -, a Academia de Hollywood não outorgou a seu épico adaptado do romance de Edna Ferber o prêmio de melhor filme do ano. Assim como Sinfonia de Paris, de Vincente Minnelli, venceu em 1951, o Oscar principal coube, em 1956, a A Volta ao Mundo em 80 Dias, do produtor Michael Todd, marido de Elizabeth Taylor (e ele morreu em seguida num acidente aéreo). Gian (título original) é sobre o Texas e seus milionários do petróleo. Liz casa-se com Rock Hudson, mas é amada por James Dean. Hudson, o bronco texano, humaniza-se por amor à mulher letrada do Leste. Dean, quanto mais poderoso, mais racista (e mesquinho) será. É inadmissível que o filme não tenha recebido também o Oscar de direção de arte. A mansão da família - Reata - virou um dos cenários mais famosos do cinema (e uma referência para Terrence Malick em Cinzas do Paraíso). Não existe outra definição para a forma como resolve os problemas de tempo e espaço de seu relato, que atravessa décadas (e gerações) - é genial. Último filme de Dean. Quando estreou, ele já havia morrido, num acidente de carro. Reprise, cfolorido, 201 min.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.